O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o ministro da Saúde da Argentina, Juan Luis Manzurm, assinaram hoje um protocolo de intenções entre os dois países. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) irá transferir para os argentinos a tecnologia necessária para a produção da vacina da febre amarela.

Atualmente, há apenas dois centros produtores da vacina no mundo.

"Não se trata de um comércio. O cuidado da saúde é universal", disse Temporão, acrescentando que a Argentina investirá o que for necessário na construção, qualificação e certificação da planta da fábrica onde a vacina será produzida. Os custos de viagem e mão de obra dos técnicos e pesquisadores serão arcados pelo governo brasileiro.

"O Brasil tem uma grande história de ajuda à América Latina e a outros países do mundo que necessitam de ajuda", elogiou o ministro argentino. Segundo ele, a partir da assinatura do protocolo de intenções, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Cristina Kirchner têm 90 dias para assinar o contrato de transferência de tecnologia.

A vacina de febre amarela produzida pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos é pré-qualificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 2001, é exportada para mais de 50 países.

Fabiana Cimieri

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.