Brasil vai conviver com duas ortografias até 2012

SÃO PAULO - Em vigor de forma facultativa desde o dia 1º, as novas regras ortográficas ainda não serão adotadas pela maioria das instituições no País. O período de transição termina em dezembro de 2012.

Redação com Agência Estado |

Acordo Ortográfico Por enquanto, órgãos como o Museu da Língua Portuguesa, secretarias estaduais e até o governo federal decidiram manter textos e documentos de acordo com as normas antigas.

O Diário Oficial da União e o do Estado de São Paulo optaram por manter as duas formas nos conteúdos oficiais - editais, portarias, resoluções. O texto será publicado de acordo com a grafia que cada órgão resolveu adotar. No caso de São Paulo, as páginas de notícias produzidas pela redação da Imprensa Oficial adotaram o novo padrão.

Para o presidente da Comissão de Língua Portuguesa do Ministério da Educação e do Instituto Internacional de Língua Portuguesa, Godofredo de Oliveira Neto, as empresas e o governo deveriam adotar a nova ortografia desde o dia 1º. A reforma já está valendo, afirma Oliveira Neto. É compreensível que as editoras demorem um pouco mais. Mas ele também recorda que não há punições previstas para quem desobedece às regras no País.

Até fevereiro, a Academia Brasileira de Letras deve publicar o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa , que trará a forma oficial das palavras alteradas. A partir daí, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), por exemplo, adotará integralmente as regras. Vamos começar a implantar o que já está bastante claro no acordo. Em relação ao uso do hífen, vamos aguardar a publicação do vocabulário, diz a professora de português e revisora do STJ, Mari Lúcia Del Fiaco. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: acordo ortográfico

    Leia tudo sobre: acordo ortográfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG