Brasil terá universidade para países de língua portuguesa

O governo prepara a criação de mais uma universidade internacional. Desta vez, voltada para a África, especialmente países de língua portuguesa, e o Timor Leste.

Agência Estado |

Chamada provisoriamente de Universidade da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (UniCPLP), a nova instituição deverá ficar em Redenção (CE) e a meta é ter 10 mil alunos quando estiver funcionando totalmente.

A criação da universidade voltada à integração com a África foi um pedido feito diretamente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Ministério da Educação. A intenção é que as primeiras seleções de alunos sejam feitas no ano que vem, mas o câmpus estaria em funcionamento em 2010.

De acordo com o secretário de ensino superior do Ministério da Educação, Ronaldo Mota, a ênfase será dada aos cursos que os países africanos mais têm interesse, voltados à formação de professores, Ciências da Saúde, Agronomia e Administração. Em diversos acordos bilaterais já feitos, essas são as áreas em que os africanos mais pedem cooperação. A sede já foi escolhida. Redenção (a 60 quilômetros de Fortaleza) afirma ser a primeira cidade a ter abolido a escravatura no País.

Essa será a segunda universidade criada no governo Lula com a proposta de integrar o Brasil a outras nações. A primeira, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana, foi anunciada em 2007 e deve começar a funcionar neste ano numa área da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu. Os alunos e professores são latino-americanos. As aulas, bilíngües (espanhol e português). A criação da nova universidade depende de aprovação de projeto de lei no Congresso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG