Brasil tem mais ex-fumantes do que fumantes, revela IBGE

RIO DE JANEIRO - Um levantamento inédito feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, revela que o Brasil tem hoje cerca de 24,6 milhões de fumantes, o que corresponde a 17,2% da população de 15 anos ou mais. A boa notícia é que o contingente de ex-fumantes já soma 26 milhões de pessoas ¿ 1,4 milhão a mais do que o total de fumantes estimado na Pesquisa Especial de Tabagismo (Petab), o primeiro levantamento que traça um panorama detalhado do uso do tabaco no país.

Anderson Dezan e Leoleli Camargo |

"O número expressivo de pessoas que largam o hábito do fumo revela duas características importantes: a consciência individual do malefício que o fumo traz e as ações das políticas públicas ajudando essas pessoas a largar esse hábito", declarou ao iG o presidente do IBGE, Eduardo Nunes, acrescentando que o número de ex-fumantes tende a aumentar ainda mais.

A Petab foi realizada pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Aplicada a uma subamostra (51 mil domicílios) da Pesquisa Nacional por Amostra e Domicílios (Pnad), feita em 2008, a pesquisa usou o mesmo modelo adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) em outros 13 países do mundo para avaliar o consumo de tabaco no planeta e a eficácia das políticas públicas de combate ao tabagismo.

Estados

O levantamento revelou que a região Sul concentra o maior percentual de fumantes (19%). Os menores foram observados nas regiões Centro-Oeste (16,6%) e Sudeste (16,7%). No levantamento por estados, os que apresentaram maiores percentuais de usuários de tabaco foram o Acre (22,1%), seguido pelo Rio Grande do Sul (20,7%) e pela Paraíba (20,2%). O estado com o menor percentual de fumantes foi o Sergipe, com 13,1%. De acordo com a pesquisa, a esmagadora maioria dos tabagistas (99,5%) fazia uso regular do cigarro, enquanto o restante utilizava outros produtos derivados do tabaco, como rapé e fumo de mascar.

A pesquisa abordou também a cessação do hábito de fumar. Nessa parte, 57,1% dos fumantes responderam que foram advertidos a parar de fumar por serviços de saúde. Da mesma forma, 65% pensaram em deixar o hábito depois de verem os rótulos de advertência nos maços de cigarro ¿ desde 2001 os fabricantes são obrigados por lei a inserir advertências e fotos em uma das faces dos maços.

"Isso demonstra que estamos no caminho certo. Havia muitas críticas no passado em relação a essas fotos que os outros consideravam como muito agressivas ou realistas. No entanto, percebemos que a população entendeu que há um sentido ali de mostrar a realidade para as pessoas" disse ao iG o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que esteve presente na divulgação da Petab.

Parar de fumar

Entre as mulheres fumantes 57,1% responderam que planejavam abandonar o fumo. Quando o mesmo foi perguntado aos homens, 49,2% informaram o desejo de largar o cigarro. Entre os brasileiros que responderam ter abandonado o hábito de fumar, a pesquisa estimou que 20,1 milhões foram fumantes diários. Entre os que pararam de fumar, predominaram aqueles que largaram o hábito há 10 anos ou mais.

A última estatística do Ministério da Saúde sobre o tabagismo foi em 2003 ¿ quando o Inquérito Domiciliar sobre Comportamentos de Risco e Morbidade Referida de Doenças e Agravos Não Transmissíveis mostrou que o índice de fumantes na população acima de 15 anos havia reduzido de 32% para 19% desde 1989.

FONTE: IBGE

    Leia tudo sobre: cigarrofumoibgeincatabaco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG