Brasil tem dois filmes selecionados para o Festival de Veneza 2009

ROMA ¿ O filme Insolação, de Daniela Thomas e Felipe Hirsch, e o documentário Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Marcelo Gomes e Karïm Aïnouz, são os dois representantes brasileiros na programação oficial do 66º Festival de Veneza, que será realizado entre 2 e 12 de setembro.

Redação com agências |

Divulgação

"Insolação" leva aos cinemas a frequente parceria de Daniela Thomas e Felipe Hirsch

Nenhum dos dois concorre ao Leão de Ouro, prêmio máximo do festival, e serão exibidos fora de competição, na mostra paralela "Horizontes". No longa de Thomas e Hirsch ¿ que faz sua estreia no cinema, após uma carreira estrelada no teatro ¿, o elenco liderado por Paulo José, Simone Spoladore e Leonardo Medeiros mostra a solidão e as dificuldades de uma grande metrópole. Neste caso específico, em "uma ainda mais abstrata que outras", que é Brasília, como apontou o diretor de Veneza, Marco Müller.

Müller atribuiu a escassez de filmes latino-americanos no festival aos tempos de produção desses países, já que "a maioria das estreias" acontece no primeiro semestre e, por isso, os cineastas preferem apresentar seus trabalhos no Festival de Cannes, na França.

Divulgação

Matt Damon irreconhecível em
"O Informante", de Soderbergh

Nesta edição da mostra, o cinema italiano será o de maior presença, com 22 produções, seguido pelo norte-americano, que este ano contará com 17 títulos em cartaz. O diretor do júri será o premiado cineasta Ang Lee. Na competição, destaque para o alemão Werner Herzog, que concorre com "Bad Lieutenant", com Nicolas Cage e Val Kilmer, e o polêmico documentarista Michael Moore, com seu novo filme, "Capitalism".

Todd Solondz comparece com "Life During Wartime", o francês Jacques Rivette com "Pic Saint Loup" e o italiano Giuseppe Tornatore, famoso por "Cinema Paradiso", leva "Baaria", produção de US$ 30 milhões que vai abrir o festival. Surpreende a inclusão de George A. Romero, criador do gênero zumbi no cinema, que compete pelo Leão de Ouro com seu novo trabalho, "Survival of the Dead", outro longa a explorar o gênero.

"Não obstante as dificuldades, o cinema continua vivo, forte, e sabe falar com eficácia do presente. Esta é a seleção mais surpreendente dos últimos anos", assegurou Müller, crítico cinematográfico e diretor pelo sexto ano consecutivo do festival de cinema mais antigo da Europa. Um título entre os 24 da competição oficial ainda não foi anunciado.

Divulgação

Marcelo Gomes e Karim Ainouz dirigem "Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo"

Fora de competição, serão exibidos os novos filmes de Steven Soderbergh ("O Informante", com Matt Damon), Abel Ferrara ("Napoli Napoli Napoli") e Antoine Fuqua ("Brooklyn's Finest"), que deve levar ao festival nomes como Richard Gere, Don Cheadle, Ethan Hawke e Wesley Snipes. Oliver Stone estreia "South of the Border", documentário que o diretor de "Assassinos por Natureza" realizou sobre o presidente venezuelano Hugo Chávez e sua influência na América Latina.

George Clooney, astro do filme dos irmãos Coen que abriu Veneza no ano passado com "Queime Depois de Ler", estará de volta ao Lido no drama satírico "The Men Who Stare at Goats", de Grant Heslov.

As duas partes da animação "Toy Story", sucesso da Pixar, também participam, em uma prévia da reestreia dos filmes ao redor do mundo em 3D. A produtora e o diretor John Lasseter vão receber um prêmio especial pelo conjunto da obra.

A nova edição do Festival de Veneza será marcada pelos protestos contra os cortes de fundos estatais para cinema e espetáculos promovidos pelo governo de direita de Silvio Berlusconi, segundo anunciaram os atores italianos Sergio Castellito, Carlo Verdone e Stefano Accorsi, líderes do movimento.

Paralelo à mostra, na 24ª edição da Semana Internacional da Crítica, será projeto o documentário "Videocracy", do italiano Erik Gandini, que critica o poder excessivo alcançado por Silvio Berlusconi através de seus canais de televisão, uma obra que certamente criará polêmica dentro e fora do festival.

Conheça os filmes selecionados para as principais mostras do Festival de Veneza 2009:

Mostra competitiva
"Baaria", de Giuseppe Tornatore (Itália)
"Soul Kitchen", de Fatih Akin (Alemanha)
"La Doppia Ora", de Giuseppe Capotondi (Itália)
"Accident", de Cheang Pou-Soi (China/ Hong Kong)
"Persecution", de Patrice Chereau (França)
"Lo Spazio Bianco", de Françasca Comencini (Itália)
"White Material", de Claire Denis (França)
"Mr. Nobody", de Jaco van Dormael (França)
"A Single Man", de Tom Ford (EUA)
"Lourdes", de Jessica Hausner (Áustria)
"Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans", de Werner Herzog (EUA)
"The Road", de John Hillcoat (EUA)
"Between Two Worlds", de Vimukthi Jayasundara (Sri Lanka)
"The Traveller", de Ahmed Maher (Egito)
"Lebanon", de Samuel Maoz (Israel)
"Capitalism: A Love Story", de Michael Moore (EUA)
"Women Without Men", de Shirin Neshat (Alemanha)
"Il Grande Sogno", de Michele Placido (Itália)
"36 vues du Pic Saint Loup", de Jacques Rivette (França)
"Survival of the Dead", de George Romero (EUA)
"Life During Wartime", de Todd Solondz (EUA)
"Tetsuo The Bullet Man", de Shinya Tsukamoto (Japão)
"Prince of Tears", de Yonfan (Hong Kong)

Fora de competição
"REC 2", de Jaume Balaguero, Paco Plaza (Espanha)
"Chengdu, I Love You", de Fruit Chan, Cui Jian (China)
"The Hole", de Joe Dante (EUA)
"The Men Who Stare at Goats", de Grant Heslov (EUA)
"Scheherazade, Tell Me a Story", de Yousry Nasrallah (Egito)
"Yona Yona Penguin", de Rintaro (Japão)
"The Informant!", de Steven Soderbergh (EUA)
"Napoli Napoli Napoli", de Abel Ferrara (Itália)
"Anni Luce", de Françasco Maselli (Itália)
"L'oro di Cuba", de Giuliano Montaldo (Itália)
"Prove per una tragedia siciliana", de John Turturro, Roman Paska (Itália)
"South of the Border", de Oliver Stone (EUA)

Mostra Horizontes
"Françasca", de Bobby Paunescu (Romênia)
"One-Zero", de Kamla Abou Zekri (Egito)
"Buried Secrets", de Raja Amari (Tunísia)
"Tender Parasites", de Christian Becker e Oliver Schwabe (Alemanha)
"Adrift", de Bui Thac Chuyen (Vietnã)
"Crush", de Petr Buslov e outros (Rússia)
"Repo Chick", de Alex Cox (EUA)
"Engkwentro", de Pepe Diokno (Filipinas)
"The Man's Woman and Other Stories", de Amit Dutta (Índia)
"Paraiso", de Hector Galvez (Peru)
"Io sono l'amore", de Luca Guadagnino (Itália)
"Cow", de Guan Hu (China)
"Judge", de Liu Jie (China)
"Pepperminta", de Pipilotti Rist (Suíça)
"Tris di donne e abiti nunziali", de Martina Gedeck (Itália)
"Insolação", de Daniela Thomas e Felipe Hirsch (Brasil)
"1428", de Du Haibin (China)
"Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo", de Marcelo Gomes e Karim Ainouz (Brasil)
"Once Upon A Time Proletarian: 12 Tales of a Country", de Guo Xiaolu (China)
"Villalobos", de Romuald Karmakar (Alemanha)
"Il colore delle parole", de Marco Simon Puccioni (Itália)
"The One All Alone", de Frank Scheffer (Holanda)
"Toto", de Peter Schreiner (Áustria)

Leia mais sobre: Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG