Brasil tem dois casos suspeitos de gripe suína, afirma ministro

SÃO PAULO - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou que há dois casos suspeitos de gripe suína, um em São Paulo e outro em Minas Gerais, e mais 36 pacientes monitorados no País. Em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, Temporão disse ainda que a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou para a fase 5 o nível do alerta de pandemia da gripe suína, uma vez que o vírus está se disseminando sem indicar uma redução no ritmo de contaminação. A escala vai de 1 a 6.

Redação |

Segundo o ministro, o Brasil tem 52 unidades de referência em saúde para atender eventuais casos da doença. "O Brasil tem uma rede de profissionais preparados para enfrentar essa situação", afirmou.

Temporão pede que a população evite a auto-medicação. "Neste momento é extremamente importante confiar nas autoridades sanitárias", alertou. Os passageiros que apresentarem sintomas de gripe suína devem procurar os postos da Anvisa nos aeroportos.

Brasil não possui casos da doença


"O importante agora é intensificar o trabalho nos aeroportos, o sistema de saúde estar preparado, e os casos que apresentem os sintomas sejam monitorados", disse ele.  Durante a entrevista coletiva, Temporão reafirmou que o País está preparado para combater a doença, mas que ainda não há evidências da circulação do vírus no Brasil.

Vacina e medicamentos

O Ministério da Saúde anunciou que o Brasil tem matéria-prima suficiente para produzir 9 milhões de tratamentos para gripe suína. Segundo o ministro, já estariam disponíveis 6.250 medicamentos para adultos e a mesma quantidade para tratamentos pediátricos.

De acordo com o órgão, assim que acionados, os laboratórios das Forças Armadas podem iniciar a produção do medicamento. A capacidade de produção é de 300 mil cápsulas por dia.

Brasil está preparado, diz Temporão


O ministro Temporão enfatizou ainda que os Centros de Informações Epidemiológicas, os hospitais de referências e os laboratórios que produziram a vacina e medicamentos estão bem estruturados no Brasil. "O que temos que combater é a insegurança, a dúvida e o medo", reforçou temporão.

A partir da sequência genética do vírus, disponibilizado hoje pela OMS, o ministério informou que será prossível preparar em até 10 dias o reagente necessário para a identificação da doença. Até o momento, o diagnóstico tem sido feito por exclusão, com reagentes utilizados para identificar outras doenças.

Medidas contra a gripe suína

Desde segunda-feira, o governo brasileiro anunciou uma série de medidas contra a gripe suína.  

O Gabinete Permanente de Emergência, formado por representantes dos ministérios da Saúde e da Agricultura e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), decidiu monitorar os voos procedentes de áreas afetadas por casos de gripe suína em humanos (México, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Grã-Bretanha e Nova Zelândia).

A Anvisa também já começou a distribuir nos aeroportos 1 milhão de folhetos com explicações sobre a doença.

Questionado pelos jornalistas se o Brasil cancelaria voos para os países afestados pela gripe, o ministro ressaltou que esta não é uma recomendação da OMS. "Vamos seguir as recomendações rigorosamente. Independente das medidas adotadas por outros países".

"Imagino poucas mudanças práticas no que já é feito no Brasil". Na avaliação do ministério, o País já está a frente, uma vez que a única recomendação adicional com a elevação do nível de pandemia foi a execução de planos de contingência, o que o Brasil já estaria fazendo desde sábado.

Com coletiva de imprensa prevista para às 18h, será a vez de representantes da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) falarem sobre a doença, na sede da instituição, em Brasília. A Opas é ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS).

(*Com reportagem de Sarah Barros)


Gripe Suína no Brasil:

Entenda a gripe suína:

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG