Brasil tem condições de dobrar efetivo no Haiti

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil tem condições de dobrar o efetivo que mantém no Haiti, atualmente de 1.266 militares, para ajudar na reconstrução do país devastado por um forte terremoto, afirmou nesta segunda-feira o comandante do Exército, general Enzo Peri. A decisão de enviar mais tropas é do governo, naturalmente passando pelo Congresso Nacional, mas é preciso que (o pedido) seja formalizado pela ONU, afirmou o general a jornalistas.

Reuters |

Mais cedo, o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que o país enviaria mais soldados ao Haiti caso fosse necessário.

A declaração ocorreu pouco depois de o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, ter recomendado ao Conselho de Segurança da entidade o envio de 1.500 policiais e 2.000 soldados à missão de paz que atua no país, a Minustah.

O Conselho está reunido nesta segunda-feira para definir o aumento do efetivo de sua força no Haiti, atualmente de 9.000 soldados e policiais.

O Brasil lidera as tropas da missão de paz da ONU no Haiti, país devastado por um terremoto de magnitude 7 na semana passada. Estima-se que 200 mil pessoas tenham morrido.

Dos 19 brasileiros mortos no tremor, 17 são militares. Segundo Peri, a previsão é de que estes corpos cheguem ao Brasil na quarta-feira. Outros dois militares seguem desaparecidos.

(Reportagem de Raymond Colitt)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG