Brasil tem autoridade para dar conselhos, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o Brasil possui autoridade para aconselhar outros países sobre como fazer as coisas bem feitas. Ao invés de ficar recebendo conselhos, (o Brasil) tem possibilidade de dar conselho.

Agência Estado |

" Ele citou como exemplo, durante entrevista à TV Bloomberg, as duras medidas do País para evitar o desmatamento, principalmente em áreas de preservação, como na Amazônia. Porém, Lula afirmou que muitas pessoas moram nesses lugares e que elas querem ter acesso a bens materiais. Dessa forma, segundo ele, é preciso desenvolver a região.

Ainda sobre o tema ambiental, o presidente disse considerar que é possível diminuir o desmatamento do País e que a legislação para isso está pronta e aprovada. Ele afirmou também que o País possui o sistema de monitoramento mais moderno de queimadas, que pode ser acompanhado diariamente. "Estamos cumprindo com nossa parte", disse, acrescentando que é preciso ensinar à população local que não desmatar a Amazônia é uma vantagem comparativa na negociação de seus produtos. "Tem muita gente que fala sério, mas tem muita gente que fala bobagem sobre a Amazônia, sem conhecer."

Lula exemplificou também o uso do etanol no País como combustível automobilístico. "Deixamos de jogar 640 milhões de toneladas de CO2 no ar desde que começamos a produzir etanol." Para ele, em vez de os países industrializados gastarem dinheiro em pesquisa para o desenvolvimento de combustíveis poluentes, poderiam usar os recursos na utilização do etanol, do biodiesel. Ele informou que em 20 e 21 de novembro deste ano haverá um seminário no Brasil para estudar o tema, com a participação de cientistas e especialistas. "O debate não pode ter paixão, tem que ter razão", afirmou.

Para o presidente, no entanto, se os países desenvolvidos não têm interesse em produzir combustível não poluente é preciso ajudar o restante do mundo a produzir, citando, em especial, os países africanos. "Se vocês não querem produzir, ajudem o mundo a produzir. Não fazer nada e ficar só consumido petróleo é um desastre para a humanidade", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG