SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira 53 novos casos de gripe H1N1, o que eleva para 452 o total de infectados pela nova doença no país. Dois pacientes seguem internados em estado grave no Rio Grande do Sul. Em Santa Maria, é grave o estado de saúde de uma menina internada na UTI do Hospital Universitário. A paciente é do município de São Gabriel, que decretou estado de emergência na segunda-feira após o surto da doença na cidade.

Outro paciente, de 29 anos, do município de Erechim, está internado na UTI de um hospital em Passo Fundo desde segunda-feira, e seu quadro também é considerado grave. Ambos foram contaminados no exterior, disse o ministério em nota.

No Paraná, a Universidade Estadual de Londrina (UEL) suspendeu suas aulas até segunda-feira, como medida preventiva, após uma estudante infectada pelo vírus ter entrado em contato com funcionários e alunos da universidade, afirmou a instituição em nota.

Escolas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul também optaram por interromper suas atividades após a confirmação de casos da nova gripe, afetando mais de 10 mil estudantes.

O ministério reiterou o alerta feito na terça-feira pelo ministro José Gomes Temporão para que crianças, idosos, gestantes e pessoas com imunidade baixa não viajem para países com transmissão sustentada do vírus.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Estados Unidos, México, Canadá, Austrália, Chile e Argentina são considerados os países com transmissão sustentada da doença.

"Ressaltamos que não há proibição nem restrição de trânsito de pessoas entre o Brasil e esses países", disse o comunicado. "A recomendação é uma medida adicional de prevenção."

A OMS declarou nesta quinta-feira que o vírus H1N1 permanece estável e que não há sinais de que esteja se combinando com outros vírus influenza.

(Por Hugo Bachega)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.