Brasil tem 35 casos de gripe H1N1; SC suspende aulas em creche

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério da Saúde confirmou neste sábado quatro novos casos de gripe H1N1, elevando para 35 o número de infectados pela doença no país. Em um dos novos casos, houve a contaminação de pessoa para pessoa. Os novos casos foram confirmados nos Estados de Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins, de acordo com comunicado do ministério.

Reuters |

Dois deles são de pessoas que estiveram no exterior. Os pacientes, um do Rio de Janeiro e outro de São Paulo, estão em isolamento domiciliar e passam bem.

Em outro caso, a forma de contaminação do paciente está sob investigação, já que a pessoa esteve no exterior e também teve contato próximo com outra pessoa diagnosticada com a doença. O paciente, de São Paulo, está em isolamento domiciliar e passa bem.

No Tocantins, a contaminação se deu por contato com outra pessoa que havia sido infectada no exterior. O paciente está em isolamento domiciliar e passa bem.

Este é o nono caso de transmissão autóctone da doença no país. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos 24 países registraram este tipo de contaminação.

Apesar da nova confirmação de transmissão autóctone, o Ministério da Saúde considera que não há evidências de transmissão sustentada do vírus de pessoa para pessoa no Brasil.

"A transmissão no Brasil é limitada... tendo em vista que todos esses casos têm vínculo epidemiológico com casos importados", disse o ministério em nota.

Do total de casos confirmados, 15 estão em São Paulo, oito no Rio de Janeiro, cinco em Santa Catarina, três no Tocantins e dois no Mato Grosso. Minas Gerais e Rio Grande do Sul tiveram um caso cada.

"Para todos os casos confirmados, estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com os pacientes", disse a nota.

O número de casos suspeitos caiu de 42 para 35. Outros 401 foram descartados.

AULAS SUSPENSAS

Em Florianópolis, uma creche teve as aulas suspensas por medida de precaução, segundo a nota do ministério.

Uma das alunas teve a confirmação da doença na sexta-feira. A paciente, que foi contaminada após ter contato com outra pessoa infectada, está em isolamento domiciliar e passa bem.

A aluna divide espaço com outras 19 crianças. As aulas estarão suspensas até o fim dos sintomas da doença.

"Todas as crianças e funcionários, bem como seus contatos próximos, estão sendo monitorados pelas autoridades de saúde estaduais e municipais", disse o comunicado do ministério.

Na segunda-feira, o Grupo Executivo Interministerial para Pandemia de Influenza (GEI) aprovou novos procedimentos para tratamento de pacientes infectados pelo vírus H1N1.

As novas medidas incluem a internação apenas de pacientes com sintomas graves, com risco de óbito ou doenças anteriores. Pacientes fora deste quadro serão medicados e ficarão em isolamento domiciliar.

O novo vírus infectou cerca de 21.900 pessoas em 69 países e causou 125 mortes, segundo dados da OMS.

(Por Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG