Brasil tem 30 casos suspeitos após confirmação de gripe

RIO (Reuters) - O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira que 30 pacientes são suspeitos de ter o vírus da gripe H1N1 no país, após a confirmação na véspera dos primeiros casos da doença no Brasil. Até quinta-feira 15 casos eram considerados suspeitos, mas o número dobrou segundo o último boletim divulgado pelo ministério. Outros 18 pacientes estão em monitoramento, informou o comunicado.

Reuters |

A maioria dos casos suspeitos está no Estado de São Paulo, com 10 casos. Rio de Janeiro (5), Minas Gerais (3), Paraná (3), Distrito Federal (2), Goiás (2), Santa Catarina (2), Mato Grosso do Sul (1), Pernambuco (1) e Rondônia (1) são os outros Estados com pacientes suspeitos.

Os quatro primeiros casos no país da doença, que ficou conhecida como gripe suína, foram anunciados na quinta-feira pelo ministro José Gomes Temporão. Os pacientes, que contraíram a doença no México ou nos Estados Unidos, são dos Estados de São Paulo (2), Rio de Janeiro (1) e Minas Gerais (1).

Três deles se recuperaram bem e inclusive já receberam alta, mas um homem que esteve no México segue internado em isolamento no Rio de Janeiro.

Temporão afirmou nesta sexta-feira que não existe evidência até o momento que o vírus tenha circulado pelo Brasil, já que todos os casos confirmados foram contraídos no exterior.

"Qualquer outra informação é pura especulação", informou o ministro após visitar uma central de monitoramento montada na sede da Defesa Civil do Rio de Janeiro.

Um amigo do jovem carioca que teve confirmada a nova gripe H1N1 também está internado com alguns sintomas da doença, segundo uma fonte da Defesa Civil do Rio de Janeiro.

Ele fez uma série de exames para saber se contraiu a gripe no contato com o amigo que chegou à cidade no fim de semana após uma viagem para Cancún.

O novo possível caso está sendo tratado no Hospital do Fundão, onde já está internado o jovem que veio do México.

"Vamos aguardar os resultados finais, mas há mais um caso suspeito sim", disse uma fonte do hospital.

Uma mulher que esteve no México se tornou a primeira vítima fatal da doença no Canadá. Os Estados Unidos, com duas mortes, e o México, com 44, são os únicos outros países com mortes causadas pelo vírus H1N1.

A Organização Mundial da Saúde decidiu nesta sexta-feira manter o alerta pandêmico mundial no nível 5 (numa escala que vai até 6), pois o vírus da gripe H1N1 ainda não ganhou força fora das Américas.

(Por Pedro Fonseca, com reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG