Brasil tem 25 casos de gripe H1N1; suspeitos são 44

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério da Saúde confirmou nesta quarta-feira dois novos casos da gripe H1N1, elevando para 25 o número de contaminados no país. Os casos suspeitos são agora 44. Os dois pacientes, do Estado de São Paulo, viajaram aos Estados Unidos e não têm relação entre si, de acordo com comunicado do ministério. Eles estão internados e passam bem.

Reuters |

"Estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com os pacientes", disse o ministério na nota.

O total de casos considerados suspeitos subiu de 25 para 44, em 11 Estados. A alta se deve à extinção da categoria de casos em monitoramento, decisão aprovada pelo Grupo Executivo Interministerial para Pandemia de Influenza (GEI), segundo o Ministério da Saúde.

Na terça-feira, eram monitoradas 24 pessoas. Estes casos foram descartados ou passaram a ser considerados suspeitos. Outros 386 foram descartados.

A GEI aprovou também mudanças no tratamento de pacientes considerados suspeitos. Agora, somente aqueles com sintomas graves e doenças anteriores serão internados e receberão tratamento antiviral. Pacientes fora deste quadro serão medicados e ficarão em isolamento domiciliar.

O grupo alterou ainda a definição de casos suspeitos. Os critérios são febre acima de 37,5 graus Celsius (antes era de 38°C), tosse ou dor de garganta (o último sintoma não entrava na classificação anterior), acompanhadas ou não de dor de cabeça, nos músculos e articulações e dificuldades respiratórias.

O paciente também deve ter estado, nos últimos dez dias, em países com casos da doença ou tido contato com pessoas consideradas casos suspeitos.

Com os dois novos resultados positivos, o número de contaminados no país subiu para 25, sendo 11 em São Paulo, sete no Rio de Janeiro e quatro em Santa Catarina. Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Tocantins tiveram um caso cada.

Dos casos confirmados, sete foram por transmissão autóctone (dentro do território nacional), todos com vínculos com pacientes procedentes do exterior.

"A transmissão no Brasil é limitada, sem evidências de transmissão sustentada do novo vírus Influenza A(H1N1) de pessoa a pessoa", disse o comunicado.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), outros 19 países registraram este tipo de transmissão.

A OMS disse na terça-feira que o mundo avança ao nível máximo de alerta pandêmico devido à propagação do vírus H1N1, que infectou cerca de 19 mil pessoas em 68 países.

(Reportagem de Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG