SÃO PAULO (Reuters) - O número de infectados pela gripe H1N1 no Brasil chegou a 240 após a confirmação de 25 novos casos, informou o Ministério da Saúde na segunda-feira. Com o registro de casos entre alunos, escolas em São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre decidiram suspender as aulas. A Universidade Estadual Paulista (Unesp) interrompeu até sexta-feira as atividades no campus de Assis, a 448 quilômetros de São Paulo, devido a dois casos da nova gripe entre alunas.

De acordo com a assessoria de imprensa da universidade, uma aluna esteve na Argentina, onde contraiu o vírus. A estudante transmitiu a doença para uma colega, com quem divide casa.

No campus de Assis estudam cerca de 1.700 alunos dos cursos de ciências biológicas, engenharia biotecnológica, história, letras e psicologia.

Como 70 por cento dos alunos estavam em greve, a Secretaria Municipal de Saúde de Assis e a direção da universidade optaram por suspender as aulas até sexta-feira, quando se reunirão para decidir quando as atividades serão retomadas.

Em Porto Alegre, o colégio Farroupilha suspendeu todas as atividades até o dia 28 após a confirmação de um caso de gripe H1N1 em um aluno que retornou de um intercâmbio.

O colégio Magno, em São Paulo, decidiu interromper as aulas em uma de suas unidades até o dia 3 de agosto depois da confirmação de que dois de seus alunos, irmãos, contraíram a gripe após viajarem para a Argentina no feriado de Corpus Christi (11 de junho).

Segundo a diretora-geral da escola, Myrian Tricate, os estudantes infectados chegaram a frequentar as aulas na semana passada e tiveram a doença confirmada no fim de semana.

"A escola recebeu a orientação da vigilância epidemiológica para suspender as aulas somente das turmas desses alunos", disse a diretora, acrescentando que os estudantes passam bem.

"Mas, como muitos alunos passam o dia aqui e há várias áreas de convivência no colégio, não somente a sala de aula, achamos que seria mais prudente suspender as aulas do colégio todo", afirmou.

O colégio Palmares, também na capital paulista, anunciou nesta segunda-feira a antecipação do início das férias de seus alunos em uma semana, para 23 de junho. A decisão ocorreu depois da confirmação da doença em um estudante de 12 anos.

Segundo a assessoria de imprensa da instituição, não havia mais nenhum aluno com sintomas da doença entre seus colegas de sala. O estudante, que também foi infectado na Argentina, passa bem, disse a assessoria.

Na sexta-feira, o colégio Pueri Domus adotou a mesma medida em uma de suas unidades após um aluno ter sido infectado pela gripe também em viagem à Argentina durante o mesmo feriado. Um outro aluno do colégio já havia sido infectado por um familiar.

A Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo disse que por enquanto não pretende tomar nenhuma medida adicional para combater o alastramento da gripe, como pedir a suspensão de aulas no Estado.

O Ministério da Saúde, por meio de sua assessoria de imprensa, disse que a interrupção das aulas é uma decisão dos colégios.

Em Belo Horizonte, o colégio Marista Dom Silvério também suspendeu as aulas de uma classe após a confirmação da doença em dois alunos de 8 anos e uma professora.

Outras 19 crianças da mesma idade e que mantiveram contato com o primeiro estudante infectado pelo vírus também apresentaram sintomas da doença e estão sendo monitoradas em casa, segundo a Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais.

A secretaria disse, no entanto, que não pode informar a procedência desses casos suspeitos, e o colégio não confirma que sejam alunos da instituição.

MAIS DE 200 CASOS NO BRASIL

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda-feira 25 novos casos da doença no país. Em uma semana, o número de infectados subiu de 74 para 240.

Os novos casos estão em São Paulo, Espírito Santo, Santa Catarina, Distrito Federal, Maranhão e Minas Gerais.

"Todos os casos confirmados apresentaram quadro clínico leve a moderado e passam bem", disse o ministério em nota.

Há 159 casos sob suspeita e outros 592 foram descartados.

O ministério informou ainda que 54 por cento dos infectados são do sexo feminino e metade tem idade inferior a 26 anos.

Dos casos confirmados, 110 foram em São Paulo, 32 em Santa Catarina e 30 no Rio de Janeiro. Outros 12 Estados também registraram casos da nova gripe.

Segundo o ministério, 16 dos contágios se deram dentro do território nacional. Outros 34 países registraram este tipo de transmissão, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com o aumento de casos da nova gripe na América do Sul, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) adotou novas medidas para reforçar a vigilância em portos e aeroportos do Brasil.

Entre as medidas anunciadas está a exigência da Declaração de Saúde do Viajante (DSV) para todos os passageiros procedentes de países do Mercosul. A apresentação será feita quando eles chegarem ao país.

As companhias aéreas serão obrigadas a fornecer a lista de passageiros junto com a Declaração Geral da Aeronave no momento da chegada do avião.

Argentina, Chile e Colômbia registraram vítimas fatais devido à nova gripe.

Segundo a OMS, a gripe H1N1 já infectou mais de 44.200 pessoas em 100 países, com 180 mortes.

(Por Hugo Bachega e Fabio Murakawa)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.