Brasil tem 2 casos suspeitos de gripe suína e monitora 36

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil tem dois casos suspeitos de gripe suína, que estão recebendo tratamento como se já estivessem confirmados como portadores da doença, disse nesta quarta-feira o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. O ministro acrescentou que o número de casos monitorados no país subiu para 36 pacientes, ante os 20 casos que estavam sendo observados até terça-feira.

Reuters |

"Não existe evidência da circulação do vírus da gripe suína no Brasil", disse Temporão durante entrevista coletiva em Brasília, acrescentando que os dois pacientes suspeitos de serem portadores do vírus da gripe suína estão em Minas Gerais e em São Paulo.

Os 36 casos monitorados pelo Ministério da Saúde estão divididos em 11 Estados, sendo 14 deles em São Paulo. Os outros estão em Amazonas (3 casos), Bahia (3), Espírito Santo (1), Mato Grosso do Sul (2), Minas Gerais (1), Pará (1), Paraná (4), Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Norte (2) e Santa Catarina

(3).

O ministro revelou que, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) disponibilizou nesta quarta-feira o sequenciamento genético do vírus, em até 10 dias o governo terá condições de produzir os reagentes necessários para realizar testes próprios para verificar se as pessoas estão contaminadas pelo vírus

H1N1.

Apesar de a OMS ter elevado o nível de alerta de pandemia da gripe para fase 5 (numa escala de 1 a 6) nesta quarta, Temporão informou que o governo não tomará nenhuma medida adicional por enquanto.

O ministro argumentou que o Brasil acionou desde sábado um plano de contingência para enfrentar a doença, o que só foi solicitado pela OMS ao anunciar a elevação do nível de alerta de pandemia para fase 5.

"Estamos na frente, não estamos correndo atrás", afirmou.

Desde segunda-feira, aviões provenientes de países onde a doença já foi confirmada são sujeitos a uma triagem de passageiros realizada pela Anvisa ainda nos aeroportos. Viajantes desses locais com sintomas da gripe são encaminhados para hospitais de referência, onde passam a ser monitorados.

O ministro descartou por enquanto a suspensão dos voos de ou para esses locais.

"O Brasil vai seguir rigorosamente as orientações da OMS", disse Temporão, lembrando que nem os EUA suspenderam os voos do México, país que é o epicentro da doença.

Além do México, onde até 195 pessoas morreram por causa da gripe suína, a doença já foi registrada nos Estados Unidos, Canadá, Espanha, Reino Unido, Israel, Nova Zelândia, Áustria e Alemanha.

TRATAMENTO GARANTIDO

O ministro afirmou que o governo tem no momento 6.250 tratamentos disponíveis para adultos e mais 6.250 para crianças. Além disso, o país possui matéria-prima estocada para produzir até 9 milhões de tratamentos.

"Não teremos problemas de disponibilidade do tratamento se for necessário... o que nos dá certa tranquilidade na disponibilização dessa droga", afirmou Temporão, acrescentando que o governo tem capacidade de produção de 300 mil cápsulas por dia do medicamento específico para combater o vírus da gripe suína.

De acordo com o ministro, o governo não vai economizar recursos se for necessário comprar mais matéria-prima ou equipamentos para oferecer o tratamento caso o vírus chegue ao país, mas garantiu que o orçamento atual do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é suficiente.

"Evidentemente que se houver necessidade de um esforço adicional, tudo que o governo puder fazer, vai fazer", afirmou.

(Por Fernando Exman; Edição de Pedro Fonseca e Maria Pia Palermo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG