Brasil produzirá vacina pediátrica contra pneumonia, meningite, bronquite e sinusite

SÃO PAULO - A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmou nesta segunda-feira um acordo de cooperação tecnológica com a multinacional inglesa Glaxo Smith Klein (GSK) para produção da vacina pediátrica contra bactéria pneumococo, que passará a ser feita pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos).

Redação |

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou que serão produzidas, a partir do ano que vem, 13 milhões de doses por ano do imunizante, que será incluído no calendário nacional de vacinação. O acordo também prevê intercâmbio científico e tecnológico para desenvolver vacinas contra dengue, febre amarela e malária.

Nas clínicas particulares, que já dispõem da vacina, o custo é de cerca de R$ 500. São necessárias três a quatro doses para garantir uma taxa de imunização de 80% a 85% contra essas doenças.

De acordo com nota no site da Fiocruz, "o imunizante protege para meningite bacteriana, pneumonia, otite média e as formas de bronquite e de sinusite causadas pela bactéria pneumococo". Ainda segundo com a página virtual do labiratório, o acordo também prevê a parceria científica entre Fiocruz e GSK para desenvolvimento tecnológico na busca de imunizantes para dengue, febre amarela inativada e malária.

No Brasil, o pneumococo causa cerca de 1,5 mil casos de meningite, 20 mil hospitalizações por pneumonia e mais de 3 milhões de casos de otite média aguda a cada ano. Com a novidade no calendário vacinal, a expectativa é que pelo menos 1,5 mil mortes de crianças com menos de cinco anos poderão ser evitadas anualmente no país. A Fiocruz produzirá 13 milhões de doses/ano da vacina.

*Com informações das Agências Estado e Brasil

Leia mais sobre: vacinas

    Leia tudo sobre: bronquitepneumoniasinusitevacinasvacinação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG