Brasil não tem calendário de imunização para viajantes

Não existe no Brasil um calendário específico de vacinas recomendadas para os viajantes, que ajudaria a orientar a população. Este foi um dos alertas de artigo publicado na última edição da Revista Brasileira de Medicina Tropical por integrantes do Ambulatório dos Viajantes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Agência Estado |

“O Brasil precisa ter normas mais claras”, afirma a infectologista Marta Lopes, uma das autoras do trabalho e integrante do comitê assessor de imunizações do Ministério da Saúde.

A vacinação de viajantes é importante não só para proteção individual, mas essencial para a saúde pública, em razão do risco de importação e exportação de doenças endêmicas. O ambulatório é um dos poucos serviços no País que orienta gratuitamente viajantes (é preciso marcar hora e a agenda está lotada em janeiro). Alguns serviços, como o Cievs, da UFRJ, mantêm sites com orientações (www.cives.ufrj.br).

Análise de 445 viajantes orientados no HC mostrou que as vacinas mais recomendadas foram febre tifóide (56%), difteria-tétano (54%), hepatite A (46,1%) hepatite B (44%) e febre amarela (25%). “A febre amarela é cada vez mais lembrada”, diz Marta. “Mas há outras vacinas tão ou mais importantes.” O estudo mostrou ainda que apenas 35% dos atendidos tinham as vacinas de rotina, como a contra o tétano, atualizadas. Os calendários de vacinação de rotina podem ser consultados no site www.saude.gov.br/svs, na área sobre imunizações. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG