SAN SALVADOR (Reuters) - O Brasil pediu que a Espanha e outras nações emergentes participem da cúpula do G20, em novembro, em Washington, onde será discutida a crise financeira mundial, disse na quinta-feira o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Embora a Espanha não seja membro do G20, o primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, disse que seu país deve participar do encontro de 15 de novembro porque tem muitos pontos a abordar sobre o sistema financeiro.

Amorim, em um evento paralelo à Cúpula Ibero-Americana em El Salvador, disse que pediu à representante comercial dos Estados Unidos, Susan Schwab, que inclua a Espanha nas discussões.

"Falei ontem (quarta-feira) com Susan Schwab para pedir a ela a participação da Espanha e de outros países em desenvolvimento para manter o equilíbrio", comentou Amorim a jornalistas. "Eu pessoalmente, por instruções do presidente Lula, fiz ontem a petição", acrescentou.

O G20, criado em 1999 para discutir problemas-chave da economia global, é formado por ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais de 19 países industrializados e emergentes. A União Européia também é membro do grupo.

Participam das reuniões do G20 a Argentina, a Alemanha, a Arábia Saudita, a Austrália, o Brasil, o Canadá, a China, a Coréia do Sul, os Estados Unidos, a França, a Índia, a Indonésia, a Itália, o Japão, o México, o Reino Unido, a Rússia, a África do Sul e a Turquia.

(Reportagem de Adriana Barrera)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.