Brasil integra missão para promover diálogo político na Bolívia

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, viaja na sexta-feira para La Paz para formar um grupo de países amigos da Bolívia que terá a missão de intermediar o diálogo político entre o governo do presidente Evo Morales e a oposição. (A criação do grupo) foi pedida pelos próprios bolivianos, que quiseram formar um grupo de amigos, países amigos. O Brasil é um deles, disse Amorim a jornalistas, acrescentando que Argentina e Colômbia também participarão dos esforços pelo fim do impasse.

Reuters |

'Eu vou me reunir com representantes de todas as partes', acrescentou Amorim.

A criação do grupo de países amigos é mais um esforço da diplomacia brasileira de consolidar sua liderança regional.

Recentemente, o país ajudou a intermediar a crise entre Equador e Colômbia, deflagrada por um ataque colombiano contra um acampamento da guerrilha em território do Equador.

Além disso, o Brasil lidera a força de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti.

Amorim defendeu que o governo Morales, que pressiona pela aprovação de uma nova Constituição, e a oposição, que busca a realização de referendos sobre a autonomia de algumas regiões, adotem 'posições mais comedidas'.

O chanceler anunciou também que o Brasil pode propor uma segunda reunião desse grupo de países amigos para o dia 14 de abril no Rio de Janeiro.

(Reportagem de Raymond Colitt)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG