Brasil estréia na Mostra de Veneza com filme de Zé do Caixão

VENEZA ¿ O Brasil participará da Mostra de Veneza com Encarnação do Demônio, filme de José Mojica Marins, o Zé do Caixão, que será exibido no dia 29 de agosto, na seção Fora de Concurso.

Redação com EFE |

Na seção Orizzonti, será exibido "A erva do rato", de Julio Bressane e Rosa Dias, que é uma adaptação de dois contos de Machado de Assis e tem apenas dois personagens, Ele e Ela, interpretados por Selton Mello e Alessandra Negrini.

Na mostra competitiva, a participação nacional se dá através da co-produção com China e Japão "Dangkou" ("Plastic City"), que aborda o universo das máfias chinesa e japonesa em São Paulo e foi rodada pelo chinês Yu Lik-wai, e pela co-produção com a Itália "Birdwatchers", dirigida por Marco Becchis, com índios guarani guarani-kaiowà nos papéis principais.

Apesar da pujança do cinema latino-americano nos festivais internacionais e em Hollywood, a Mostra de Veneza reservou poucos convites nas seções não-competitivas para ele na sua 65ª edição, com exceção da estréia do roteirista mexicano Guillermo Arriaga na direção, que está no concurso principal.

Na Mostra de Veneza deste ano, que acontece de 27 de agosto a 6 de setembro, o México, com a estréia de Arriaga concorrendo ao Leão de Ouro, será o país latino-americano com maior representação.

Concorrem na seção Orizzonti os cineastas mexicanos Gerardo Naranjo, com "Voy a explotar", e Eugenio Polgovsky, com "Los herederos".

Suas linguagens cinematográficas estão longe do nível dos chamados "três amigos" do cinema mexicano ¿ Guillermo del Toro, Alfonso Cuarón e Alejandro González Iñárritu, mas seus temas são comuns.

Naranjo retrata a viagem de dois adolescentes, e Polgovsky aborda a pobreza das zonas rurais de seu país através do trabalho de crianças no campo.

"Tierra y pan" é o título do quarto representante mexicano na programação da Mostra de Veneza, Carlos Armella, mas que concorre na seção Corto Cortissimo, com oito minutos de um filme sem diálogos dedicado aos instintos de sobrevivência diante da escassez.

A Argentina estará representada na seção paralela Giornate degli Autori com o filme "Una semana solos", de Celina Murga, mas viverá um dia destacado quando Daniel Burman, diretor de "El abrazo partido" (2004) e "Derecho de familia" (2006), receber o prêmio Robert Bresson, entregue pelo Vaticano.

Leia mais sobre: Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG