Brasil e Guatemala defendem área de livre-comércio entre blocos

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu colega da Guatemala, Álvaro Colom, decidiram na sexta-feira promover um acordo entre o Mercosul e o bloco centro-americano Sica. A conclusão de uma área de livre-comércio entre o Mercosul e o Sistema de Integração Centro-Americano multiplicará complementaridades e investimentos e promoverá a cooperação técnica e a transferência tecnológica, disse Lula durante almoço oferecido a Colom no Itamaraty.

Reuters |

Em nota conjunta, os dois presidentes se comprometeram a continuar fortalecendo as relações econômicas e comerciais entre o Mercosul e a Sica, e a promover a associação entre ambos os blocos.

Lula participará em maio de uma reunião entre Brasil e Sica, formada por Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá e Belize. O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, e a adesão da Venezuela aguarda aprovação dos Congressos de Brasil e Paraguai.

O presidente brasileiro afirmou que uma eventual área de livre-comércio deveria 'corrigir as assimetrias entre as economias de ambos os blocos.'

'No próximo mês, em El Salvador, teremos a oportunidade de dar um passo definitivo para tornar realidade essas aspirações', acrescentou.

Durante a visita de Colom, que chegou a Brasília acompanhado de vários ministros, os dois países firmaram vários protocolos em áreas como biocombustíveis e cooperação científica, educacional e de assistência social.

'Vemos na cooperação com a Guatemala um modelo do que o Brasil deseja desenvolver com toda a América Central', disse Lula, que elogiou a trajetória política de Colom, um empresário de centro-esquerda que assumiu a presidência em janeiro.

Lula foi à posse de Colom, que por sua vez escolheu o Brasil como destino de sua primeira viagem oficial.

(Reportagem de Julio Villaverde)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG