Brasil é denunciado na ONU por violar direitos humanos

Organização vai citar abusos policiais praticados na Cracolândia, em São Paulo, e no Pinheirinho, em São José dos Campos

iG São Paulo |

A Organização Não Governamental (ONG) Conectas vai denunciar o Brasil no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) pela violação nesta sexta-feira, citando como exemplos de violações o uso excessivo da força policial na ação a Cracolândia , na região da Luz, em São Paulo, e na reintegração de posse do Pinheirinho , em São José dos Campos.

Nos dois casos, a organização denunciou também casos de tratamento cruel e desumano, violação do direito de ir e vir e falta de acesso aos serviços de saúde e habitação adequados.

Cracolândia:  Promotoria considera 'desastrosa' ação na Cracolândia e abre inquérito e Tropa de choque paulista entra em operação da Cracolândia

A ONG mostrará os contrates do País, que é a sexta maior economia do mundo e ainda  convive com práticas medievais, como tortura e superlotação no sistema carcerário, criminalização da pobreza e desrespeito aos povos indígenas. "O Brasil da Copa e das Olimpíadas é o mesmo onde um quinto da população carcerária está preso de forma ilegal, onde há tortura, maus tratos e superlotação nas cadeias, onde a pobreza é criminalizada e os projetos de desenvolvimento atropelam povos indígenas", disse Juana Kweitel, diretora de programas da Conectas.

Pinheirinho: Morador do Pinheirinho está desaparecido após ocupação, diz advogado e Relatora da ONU pede que autoridades suspendam despejos no Pinheirinho

Sua argumentação será dividida em três grandes blocos: um sobre a política brasileira de encarceramento, outro sobre a criminalização da pobreza em grandes centros urbanos e o terceiro sobre a adoção de modelos de desenvolvimento que podem violar os direitos de “comunidades vulneráveis”.

A Conectas deseja que o Brasil coloque em prática um mecanismo nacional de prevenção à tortura que permite o monitoramento independente de locais onde possa ocorrer a prática. Além disso, vai citar a construção da Usina de Belo Monte, considerada a terceira maior hidrelétrica do mundo, como ameaça para a vida de 24 povos indígenas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG