Brasil desenvolve processo de certificação de foguete

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o comandante da Aeronáutica, tenente brigadeiro Juniti Saito, participaram hoje, em São José dos Campos, da certificação do foguete sub-orbitral VSB-30, a primeira desenvolvida no País. Eles também acompanharam um ensaio da queima do propulsor S40M, desenvolvido para compor o veículo VS-40, com acesso exclusivo aos militares.

Agência Estado |

"A certificação nos dá a qualificação internacional e viabiliza o crescimento e o domínio completo do ciclo aeroespacial", afirmou Jobim.

O ministro destacou a importância do fato de ser esse o primeiro produto espacial brasileiro a se submeter a esse processo, com tecnologia nacional, o que, segundo ele, coloca o Brasil num restrito grupo de países que possuem esse tipo de certificação para seus produtos, hoje formado apenas pelos Estados Unidos, Japão e União Europeia.

Jobim lembrou que a força da defesa brasileira passa necessariamente pelo monitoramento e controle do território nacional, que, por ser muito grande, inviabiliza o controle apenas pela presença física. "Ao monitoramento se segue a mobilidade, que nos conduz à presença", afirmou.

O foguete foi submetido aos procedimentos de certificação pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial, do Departamento de Ciências e Tecnologias Aeroespaciais (DPCTA), com sede em São José dos Campos. "Isso representa uma atividade de grande importância no desenvolvimento tecnológico e industrial do país", afirmou o Coronel Aviador Sebastião Gilberti Maia Cavali, diretor do Instituto.

Foguete

O USB-30 é um foguete de sondagem que serve para levar carga útil ao espaço, contribuindo para o aperfeiçoamento das pesquisas atmosféricas e viabilizando testes em ambientes de microgravidade e de retorno à atmosfera. Ele leva ao espaço uma carga útil de 400 kg com experimentos científicos e tecnológicos a um apogeu de 230 km.

O produto foi desenvolvido a partir de 2001, em parceria com a Agência Espacial Alemã. O custo unitário do foguete é de 300 mil euros. Já foram lançados sete no espaço, sendo dois no Centro de Lançamento de Alcântara e cinco no Campo de Lançamento de Esrange, na Suécia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG