Brasil deflagra operação para evitar gripe suína

Autoridades sanitárias brasileiras deflagraram nesta sexta-feira uma ação de prevenção à gripe suína no País, depois do surto confirmado da doença no México. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou às coordenações de portos, aeroportos e fronteiras que orientem viajantes que chegaram ou que têm o México como destino sobre os cuidados contra a doença e seus sintomas. Além disso, foi intensificada a vigilância de casos suspeitos, a inspeção de cargas e bagagens.

Redação com Agência Estado |

Há ainda a orientação para intensificar e fiscalizar a limpeza e desinfecção de meios de transporte e dos pontos de entrada de cargas e passageiros. Caso necessário, funcionários poderão usar equipamentos de proteção individual. Técnicos da Secretaria de Vigilância Sanitária se reuniram no Ministério da Saúde para discutir os casos no México. Depois, uma nota oficial foi divulgada, ressaltando não haver evidências de circulação do vírus da influenza suína no Brasil.

Mesmo assim todas as secretarias Estaduais de Saúde foram orientadas a intensificar o monitoramento para detecção de casos suspeitos. Isso deve ser feito a partir da rede de vigilância de influenza e de laboratórios, existente no País. O comunicado observa ainda que as vacinas hoje disponíveis não oferecem proteção contra o vírus. Por isso, não há indicação de uso da vacina para se prevenir da gripe suína.

Nesta sexta, o governo mexicano reconheceu uma epidemia de gripe suína no país e mandou todas as escolas na área metropolitana da Cidade do México suspenderem as aulas. Pelo menos 20 pessoas morreram em todo o México por complicações causadas pelo vírus influenza nas últimas três semanas. A capital mexicana registrou 13 dessas mortes.

Nota do Ministério da Saúde

Uma nota do Ministério da Saúde informa que "não há evidências da circulação do vírus da influenza suína no Brasil, nem em humanos, nem em animais."

O ministério ainda disse que o Brasil tem uma rede de vigilância "composta por 19 Centros de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Rede CIEVS)", que monitora a circulação das cepas de vírus respiratórios. A nota também diz que todas as Secretarias Estaduais de Saúde foram acionadas para intensificar o processo de monitoramento e detecção oportuna de casos suspeitos de doenças respiratórias agudas.

O comunicado é finalizado dizendo que, desde 2005, o País tem um plano para enfrentar uma possível pandemia de influenza. Entretanto, segundo o ministério, não há indicação de uso da vacina contra influenza como medida de prevenção e controle para este evento. A nota também diz que a Organização Mundial de Saúde não recomendou restrições de viagens às áreas afetadas, nem a entrada de passageiros vindos desses países.

Leia mais sobre: gripe no México

    Leia tudo sobre: gripe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG