Brasil decide controlar entrada de haitianos e limita vistos

Ministério da Justiça afirma que vai reforçar controle nas fronteiras e limitar a emissão do número de autorizações de trabalho

Wilson Lima, iG Maranhão |

Após a chegada de milhares de haitianos ao Brasil no final do ano passado e início de 2012, o governo brasileiro pretende limitar a entrada de novos refugiados no País. Além disso, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que o governo brasileiro pretende reforçar a fiscalização nas fronteiras do Brasil com a Bolívia, Peru e Equador. Dados do Ministério da Justiça apontam que 4 mil haitianos entraram de forma ilegal no Brasil.

Casa no Brasil: Haitianos refugiados no Acre são enviados a SP e Porto Alegre

Por uma vida melhor: Cidade do Acre recebe 550 refugiados do Haiti em 10 dias

Refugiados do terremoto: Manaus vira "eldorado" para haitianos no Brasil

Visita: Governo anuncia viagem de Dilma a Cuba e ao Haiti

Depois de uma reunião realizada nesta terça-feira (10) com a presidenta Dilma Rousseff (PT), ficou definido que pelo menos 2,4 mil haitianos que entraram no país receberão seu visto de permanência provisório. Eles vão se juntar aos 1,6 mil que já têm sua situação regularizada. Ao todo, serão 4 mil vistos.

Gleilson Miranda/Secom/Divulgação
Haitianos em busca de um visto provisorio em Brasileia, no interior do Acre
O governo brasileiro deve propor agora ao Conselho Nacional de Imigração, órgão subordinado ao Ministério do Trabalho, uma resolução para regulamentar a entrada dos haitianos. A ideia é expedir, pela embaixada brasileira no Haiti, vistos condicionados ao “exercício de atividade”.

Novos imigrantes: Veja como vivem e onde moram os estrangeiros no Brasil

Segundo o ministro da Justiça, o Brasil não ficará indiferente à “vulnerabilidade econômica dos haitianos”. “Mas quem não tiver visto não poderá entrar no Brasil”, alertou Cardozo. “Temos que atacar essa rota ilícita de imigração e a ação dos coiotes”, complementou o ministro.

Além disso, os ministérios da Saúde, Integração Nacional, Desenvolvimento Social e Trabalho vão apoiar os governos do Acre e do Amazonas nas ações emergenciais aos refugiados do Haiti. Em dez dias, entre o final do ano passado e início deste ano, pelo menos 720 haitianos entraram no país de forma ilegal e ficaram em cidades como Brasileia, no Acre, e Tabatinga, no Amazonas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG