O deputado federal Paulo Bornhausen (DEM-SC) criticou hoje o voto favorável dado pelo deputado federal e presidente da Comissão de Reforma Tributária, Antonio Palocci (PT-SP), à Contribuição Social para a Saúde (CSS), que, na prática, seria a extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Durante debate, realizado na manhã de hoje no Congresso da Indústria 2008, em São Paulo, Bornhausen destacou: Palocci, ao votar favoravelmente pela CSS, perdeu a condição de liderar o processo de reforma tributária.

O deputado do Democratas disse que a aprovação da CSS prejudica o andamento do processo de reforma tributária no Congresso Nacional. Ele disse crer que a proposta será derrubada no Senado Federal e instigou o líder do PSDB na Casa, senador Arthur Virgílio (AM), que foi um dos responsáveis pela derrubada da CPMF, a continuar liderando a cruzada contra a nova contribuição.

Na avaliação do secretário da Fazenda do governo do Estado de São Paulo, Mauro Ricardo, que também participava do evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), afirmou que a aprovação da CSS "é um retrocesso", na medida em que há um esforço para se unificar as contribuições em todo o País. Além disso, ele argumentou que essa contribuição é um confronto à proposta de reforma tributária que o próprio Executivo encaminhou ao Congresso Nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.