Bombeiros são suspeitos de roubar joia de policial morto no Rio

IRAJÁ - Quatro bombeiros do Grupamento de Irajá, no Rio de Janeiro, são suspeitos de furtar o cordão de ouro de um policial militar morto em um assalto na noite de sexta-feira no Rio.

Agência Estado |

Eles receberam voz de prisão do comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar (Rocha Miranda), onde o cabo Leonardo Pereira Barbute estava lotado. Na tentativa de encontrar os suspeitos de matar o policial, duas pessoas morreram durante troca de tiros.

O cabo Barbute lanchava em Oswaldo Cruz, na zona norte, quando foi abordado por quatro criminosos. Eles atiraram na vítima ao descobrir que ele era policial. Outro agente ouviu os tiros e chamou os bombeiros. 

O bombeiro teria retirado os pertences de Barbute, mas foi impedido por um tenente-médico de pegar o cordão. No Hospital Carlos Chagas, o policial constatou que a joia não estava no corpo do cabo, que não resistiu aos ferimentos.

O comandante do 9º BPM foi chamado e os quatro bombeiros levados para a delegacia de Marechal Hermes, onde prestaram depoimento. O Corpo de Bombeiros informou que fará "apuração sumária" do caso e que vai abrir Inquérito Policial Militar para apurar o caso.

A PM fez operação no Morro do Chapadão para tentar localizar os suspeitos que mataram o cabo. Houve troca de tiros e dois homens morreram. O enterro de Barbute estava previsto para o fim da tarde de hoje no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

Leia mais sobre: furto

    Leia tudo sobre: polícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG