Bombeiros localizam três corpos na região de queda da ponte no Rio Grande do Sul

A Brigada Militar de Agudo localizou nesta quinta-feira três dos cinco corpos desaparecidos desde terça-feira, quando a ponte sobre o rio Jacuí, na região central do Rio Grande do Sul, ruiu.

iG São Paulo |

Nesta tarde, foram localizados os corpos de Lori Ella Dumke e do vice-prefeito de Agudo (RS), Hilberto Boeck , segundo informou a Brigada Militar. A cidade de Agudo decretou luto oficial de três dias.

Mais cedo, os bombeiros localizaram por volta das 9h50 o corpo de Renato Camargo , de 32 anos. Ele trabalhava como agricultor e morava a cerca de dois quilômetros da ponte que passa sobre o Rio Jacuí, em Vila Rosa. O corpo foi encaminhado ao Departamento Médico Legal de Santa Cruz do Sul.

AE
Vista da região de Agudo, no Rio Grande do Sul, onde uma ponte teve sua estrutura danificada devido à correnteza

Vista da região de Agudo, onde uma ponte teve sua estrutura danificada

Os trabalhos de busca foram retomados às 7h desta quinta-feira e contam com a ajuda de 31 homens diretamente envolvidos na operação, cinco barcos e um helicóptero.

Relatos de moradores indicaram que mais de 20 pessoas estariam sobre a ponte no momento do acidente, mas não foram registrados outros desaparecidos, segundo informou a prefeitura. Dez pessoas foram resgatadas com vida ou conseguiram sair do rio na terça-feira após o acidente. Além dos corpos já encontrados do vice-prefeito, de Lori Ella Dumke e de Renato Camargo, estão na lista os nomes de Nelo dos Santos e Denise Marion Dumke.

Corpo de vice-prefeito é encontrado no RS

Balanço

Com os três corpos encontrado nesta quinta-feira, a Defesa Civil do Rio Grande do Sul já contabiliza seis mortos decorrentes de enxurradas e mais dois, decorrentes de temporais ou alagamentos. Nesta quarta-feira, foi encontrado em Rio Pardo o corpo de Jair Dias da Rosa, de 25 anos.

De acordo com a Defesa Civil, a chuva deixou, até agora, 86 pessoas desabrigadas e 998 desalojadas no Rio Grande do Sul, além de 77 residências destruídas e 2059 danificadas. Há 15 municípios que decretaram situação de emergência.

AE
Vista da região de Agudo, no Rio Grande do Sul, onde uma ponte teve sua estrutura danificada devido à correnteza

Ponte no Rio Jacuí teve sua estrutura danificada devido à correnteza

Reconstrução

O diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer), Vicente Paulo Mattos de Britto Pereira, disse que a reconstrução da ponte levará de seis a nove meses e custará aproximadamente R$ 10 milhões. Ele avaliou que a estrutura viária e de pontes do Estado está adaptada ao fluxo atual de veículos, embora a maior parte tenha sido planejada e executada há algumas décadas.

Mais de 90% das cargas que trafegam no Estado utilizam o transporte rodoviário, conforme ele. Pereira disse que a vistoria a estradas e pontes é feita de forma rotineira e de maneira descentralizada pelos 17 núcleos regionais do Daer. Não há uma periodicidade determinada para cada visita. O Daer tem em sua malha 2,5 mil pontes no Estado.

O diretor do Daer disse que o órgão existe há 72 anos e a queda da ponte sobre o Rio Jacuí foi a segunda durante esse período. O órgão realiza avaliação técnica para determinar a causa do desastre, mas Pereira observou que a água atingiu a cabeceira e as longarinas da ponte, que não foram preparadas para este tipo de impacto. O órgão ainda não tem estimativa de custos para recuperar dezenas de pontos de estradas estaduais que apresentam problemas desde as fortes chuvas de domingo e segunda-feira no Estado.

Veja a localização de Agudo no mapa abaixo :

Visualizar Agudo - RS em um mapa maior

(*com informações da Agência Estado)

Leia também:

Leia mais sobre: chuvas - Agudo

    Leia tudo sobre: chuvachuvasrio grande do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG