Bombeiros localizam corpos de irmãs em lago no DF

Liliane Queiroz de Lira e Juliana Queiroz de Lira morreram após naufrágio de uma lancha no Lago Paranoá, em Brasília

iG São Paulo |

nullO Corpo de Bombeiros do Distrito Federal resgatou na manhã desta terça-feira os corpos das irmãs Liliane Queiroz de Lira, de 18 anos, e Juliana Queiroz de Lira, de 21 anos, desaparecidas desde a madrugada de sábado após o naufragiu da lancha em que estavam no Lago Paranoá, em Brasília. Os corpos foram achados por volta das 9h e 10h30, perto de onde havia sido encontrada a embarcação, e foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML)

O acidente aconteceu quando um grupo de 10 pessoas que participava de uma festa em uma casa às margens do Lago Norte foi fazer um passeio e, na volta, às 3h30, o barco afundou. O condutor e um passageiro conseguiram se salvar nadando até as margens do lago. Outras seis pessoas foram socorridas pelos bombeiros.

A lancha foi achada nesta segunda-feira a 25 metros de profundidade e os bombeiros só conseguiram  trazer o barco para a superfície no fim da tarde desta terça-feira.

AE
Bombeiros durante as buscas pelos corpos da duas irmãs
Segundo a Delegacia Fluvial do DF, a lancha, de 23 pés, tinha capacidade máxima para 6 pessoas. Dono e condutor da lancha, José Rocha da Costa, de 33 anos, foi ouvido e declarou que nadou até a margem do lago para chamar por socorro depois que a lancha começou a afundar. Ele foi submetido a exame toxicológico, que detectou uso de bebida alcoólica no limite autorizado por lei.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal. Apesar de não estar localizada na região litorânea do País, Brasília detém a terceira maior frota de embarcações do Brasil. Perde apenas para São Paulo e Rio de Janeiro.

    Leia tudo sobre: lanchaLago Paranoá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG