Bolsas européias fecham em alta, exceto Londres

Os mercados acionários na Europa reverteram as perdas registradas ao longo da sessão e terminaram o pregão em alta, beneficiados pela valorização nas Bolsas de Nova York e pelo forte declínio do petróleo, que impulsionou as ações de companhias aéreas. A bolsa londrina, porém, encerrou no território negativo, já que a queda do petróleo derrubou as ações das petrolíferas.

Agência Estado |

A Bolsa de Londres fechou em baixa de 0,41% (-21,30 pontos), aos 5.150,60 pontos. A Bolsa de Frankfurt avançou 1,21% a 6.155,37 pontos. A Bolsa de Paris subiu 1,26% para 4.112,45 pontos. A Bolsa de Madri teve alta de 1,22%, aos 11.287,7 pontos, enquanto Lisboa ganhou 1,41% fechando em 8.124,26 pontos.

No setor aéreo, destaque para a Air France-KLM que fechou em alta de 7,8%. Os contratos de petróleo em Londres e em Nova York caíam mais de 1% por volta das 14 horas (de Brasília), em reação ao surpreendente aumento nos estoques semanais da commodity nos EUA.

Os papéis das montadoras de veículos também se recuperaram, após terem caído mais cedo com os dados da Associação de Fabricantes de Automóveis Europeus (Acea, na sigla em inglês) de que os novos registros de carros no Oeste Europeu caíram 8,2% em junho.

E o setor bancário, que vinha sofrendo nos últimos meses, também terminou com ganhos. As ações do francês Crédit Agricole subiram 5,7% e as do britânico Lloyds TSB avançaram 4%.

As ações do francês Natixis, porém, caíram 5,2%, com especulações de que o banco de investimentos poderá ter que levantar capital novo. E a resseguradora Swiss Re perdeu 2,3% diante da informação de que tem exposição de cerca de US$ 9,6 bilhões à Fannie Mae e à Freddie Mac. "Temos visto falências nos EUA e há temores sobre os bancos europeus", disse David Van der Zand, chefe de investimentos da Theodoor Gilissen Bankiers, em Amsterdã. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG