Bolsa-Família era desviado para servidores na Paraíba

Em Sousa (PB), onde quase 3.700 famílias tiveram o cadastro do Bolsa-Família bloqueado ou cancelado, foram registrados desvios de benefícios do programa por servidores públicos.

Agência Estado |

Duas agentes de saúde, uma funcionária do Centro de Atenção Psicológica da cidade, uma aposentada e um policial militar vinham recebendo recursos destinados a pessoas de baixa renda.

Documentos obtidos pela rádio Líder FM da Paraíba mostraram que essas pessoas vinham recebendo normalmente o benefício e até aparecem na relação de pagamento do mês de setembro. Um dos citados, o policial militar Gerailton Barbosa da Silva Maia tem casa própria e moto. Ele alega que apenas cedeu o nome para receber o benefício, que seria repassado a uma idosa com problemas de saúde para comprar medicamentos.

"Sou apenas o tutor dessa pessoa, mas diante da repercussão vou procurar a Caixa Econômica para retirar meu nome dessa lista", afirmou o PM.

Em todo o País, no mês de setembro, foram bloqueados pelo Ministério do Desenvolvimento Social os benefícios de 401.321 famílias integrantes do programa que não declararam a frequência escolar de seus filhos nos dois primeiros bimestres letivos deste ano. Essa informação é condição para o recebimento do Bolsa-Família. Os valores somente serão desbloqueados quando as informações forem atualizadas no Cadastro Único e no sistema do Ministério da Educação. Se isso não ocorrer até o fim do ano, os benefícios serão cancelados.

Leia mais sobre: Bolsa-Família

    Leia tudo sobre: bolsa famíliadesvio de verbasfraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG