Boa leitura

BOA LEITURA Por Cecilia Nascimento São Paulo, 08 (AE) - CANDOMBLÉS DA BAHIA, de Edison Carneiro, Martins Fontes, 178 páginas. O baiano Edison Carneiro (1912-1972) pertenceu a uma geração que se debateu entre as estruturas acadêmicas, mais rígidas, e uma tradição vocacional e empírica, considerada desordenada, embora criativa.

Agência Estado |

Nessa tensão, Carneiro foi capaz de lançar uma nova linha metodológica nos estudos afro-brasileiros. "Candomblés da Bahia", cuja primeira edição está completando 60 anos, é um exemplo dessa inovação, comprometida com a experiência e a observação, ao tratar da organização social dos terreiros, da sua economia, do simbolismo da sua linguagem e de seu ritual, das hierarquias míticas e do sistema de controle. É um clássico que se tornou definitivo para consultas e análises posteriores.

"TRÊS VIDAS", de Gertrud Stein, tradução de Vanessa Bárbara, Cosac Naify, 245 páginas. Publicado em 1909, o livro é composto por três novelas sobre a história de três mulheres: Anna (A Boa Anna), Melanctha (Melanctha) e Lena (A Gentil Lena). As narrativas, ambientadas entre negros e imigrantes pobres, exibem as marcas da autora - a coloquialidade, as referências biográficas e o uso de adjetivos. A americana Gertrude Stein (1847-1946), personalidade fundamental do movimento vanguardista francês - que reuniu em sua casa, em Paris, artistas das artes plásticas, do cinema e da literatura -, disse ter sido imensamente influenciada por Gustave Flaubert e Paul Cézanne. O título "Três Vidas" é uma referência a "Três Contos", do escritor francês. O posfácio é de Flora Süssekind.

"A CIDADE DO PRIMEIRO RENASCIMENTO", de Donatella Calabi, tradução de Marisa Barda, Editora Perspectiva, 206 páginas. Professora do Istituo Universitario di Architettura di Venezia, Donatella Calabi relata o nascimento da cidade moderna - ela aborda a relação entre a destinação de uso do espaço urbano e a forma arquitetônica desde o século 15 até a primeira década do século 16. A obra apresenta uma abordagem original sobre um período pleno de renovações, experimentações e invenções. A partir do texto, é possível aprimorar o debate sobre o melhor planejamento de uma cidade e a administração do espaço urbano. O livro faz referência às características econômicas, políticas e culturais que contribuem para explicar o processo de transformação de uma cidade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG