Boa leitura

Boa leitura Por Cecilia Nascimento DA TRANQUILIDADE DA ALMA, de Sêneca, L&PM, 138 páginas. Traduzido por Ellen Itanajara Neves Vranas e Lúcia Sá Rebello, este volume em formato de bolso apresenta três livros de Lúcio Anneo Sêneca (4º a.

Agência Estado |

C.-65 d.C.): "Da Vida Retirada", "Da Tranquilidade da Alma" e "Da Felicidade", conhecidos como tratados morais impregnados de estoicismo. Sêneca aborda a importância da busca por serenidade, dominando-se as paixões, e da reflexão interior, feita na solidão. A tranquilidade para o filósofo latino é "estar em paz consigo mesmo, e que essa alegria não se interrompa, mas permaneça em estado plácido, sem elevar-se, sem abater-se". A existência, segundo ele, pode ser conduzida por um único princípio, em vez de ser fragmentada em diferentes projetos.

"MULHER DE PAPEL- A REPRESENTAÇÃO DA MULHER PELA IMPRENSA FEMININA BRASILEIRA", de Dulcília Buitoni, Summus Editorial, 240 páginas - 2.a edição. Existe mulher de verdade nas revistas femininas? Como a mídia impressa vem mostrando a adolescente, a adulta e a mulher madura? Quais modelos são mais frequentes? Uma extensa pesquisa da jornalista Dulcília Buitoni revela que a imagem da mulher na imprensa feminina brasileira é refletida segundo as conveniências da sociedade. A segunda edição - revista, atualizada e ampliada - chega quase trinta anos depois da publicação do primeiro livro, com mais dois capítulos redigidos para completar a linha do tempo da imprensa feminina brasileira. A obra aborda desde a mocinha casadoira e pouco alfabetizada de 1880 até as "celebridades" de 2001.

"MEMÓRIAS - A MENINA SEM ESTRELA", de Nelson Rodrigues, Editora Agir, 448 páginas. Publicada em forma de crônicas diárias no segundo caderno do jornal Correio da Manhã entre fevereiro e maio de 1967, a obra é considerada a autobiografia do jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980). Em 39 textos, Nelson entrelaçou os rumos da história brasileira com a trajetória de sua família. "O que eu quero dizer é que estas são memórias do passado, do presente, do futuro e de várias alucinações", escreveu o autor pernambucano, que não se preocupou em apresentar cronologicamente a sua história. Este volume inclui, como segunda parte, as 41 crônicas publicadas naquele período e que Nelson Rodrigues deixou de fora da primeira edição da obra.

INFANTIL
"A GUERRA DO CHICLETE", de Miguel Sanches Neto, Editora Positivo. Nesta obra, o autor retrata o Brasil de 1943, quando o país estava prestes a entrar na Segunda Guerra Mundial. Enquanto soldados vão à Itália para combater a ameaça do nazismo e do fascismo, o garoto Roberto, narrador da história, tem os primeiros contatos com os produtos industrializados norte-americanos: chicletes e refrigerantes. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG