BNDES libera R$ 2 mi para Cinemateca digitalizar acervo

A Cinemateca Brasileira ampliará seu acervo de filmes digitalizados. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a liberação de R$ 2 milhões para a compra de equipamentos que permitirão a transformação de película para meio digital e a catalogação das obras.

Agência Estado |

A instituição já iniciou os trâmites para a importação e começa a selecionar as primeiras obras que passarão pelo processo. "O material da TV Tupi e os cinejornais certamente estarão entre os primeiros. (O cineasta) Humberto Mauro também é forte candidato, mas ainda não fizemos esse recorte do que será digitalizado", disse a diretora da Cinemateca, Patrícia de Filippi.

Os equipamentos que serão importados de países como Alemanha, Inglaterra, França e Estados Unidos vão agilizar o processo. Os originais danificados receberão limpeza técnica e, se necessário, serão duplicados (em alguns casos, a película está tão deteriorada que já não pode ser exibida). A partir de então, os filmes passarão pelo processo da telecinagem (transformados de película para vídeo), e só então digitalizados. Em outros casos, poderão ser escaneados diretamente.

O plano da Cinemateca é disponibilizar essas obras online para consulta - o pesquisador se registrará no site, terá uma senha de acesso, informará o tema do trabalho e terá acesso ao conteúdo. As imagens estarão disponíveis em baixa resolução. "É importante fazer esse trabalho para que as imagens fiquem à disposição do público de forma mais fácil e mais ágil. A proposta é que esses filmes sejam exibidos numa mostra na sala Cinemateca/BNDES", comentou a gerente de cultura para a área de Patrimônio do BNDES, Isis Pagy.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG