O dinheiro será usado para apoiar a gestão pública em cidades de Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamentos no valor de R$ 193,2 milhões para apoiar a gestão pública em oito cidades: Belo Horizonte (MG), Diadema (SP), Mogi das Cruzes (SP), Santos (SP), São Bernardo do Campo (SP), São José do Rio Preto (SP), Serra (ES) e Vila Velha (ES).

Região Serrana: BNDES libera R$ 400 milhões para microempreendedores da Região Serrana

As operações ocorrem no âmbito do Programa BNDES de Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos (BNDES PMAT). O financiamento do BNDES para Belo Horizonte é de R$ 90 milhões, que serão utilizados em ações de modernização da gestão pública com foco na redução da burocracia e melhoria dos processos internos e de relacionamento com o cidadão. No âmbito da linha PMAT, a cidade já possui três operações contratadas, no valor de R$ 36,5 milhões.

Em Diadema, o apoio financeiro será de R$ 12,9 milhões e vai promover a implantação da segunda fase do programa de modernização da administração e da gestão de setores sociais do município. Em Mogi das Cruzes serão R$ 13,9 milhões para que a prefeitura dê continuidade ao processo de modernização da administração municipal e de aperfeiçoamento da gestão pública.

Na cidade de Santos, o BNDES vai financiar a segunda fase do Programa de Modernização da Administração Tributária, Geral e Patrimonial com R$ 13,5 milhões. Os recursos destinam-se à modernização da gestão e à capacitação de servidores públicos para melhorar a arrecadação dos tributos municipais e aprimorar os serviços públicos prestados aos cidadãos.

Em São Bernardo do Campo, o banco de fomento financiará com R$ 23 milhões a implantação da segunda fase do programa de modernização da administração e gestão de setores sociais do município. Em São José do Rio Preto, o BNDES financia a implantação da segunda fase do Programa de Modernização da Administração Municipal.

O valor do apoio é de R$ 15 milhões. O principal objetivo é aperfeiçoar a arrecadação dos tributos municipais, com eficiência e justiça social. São José do Rio Preto já teve uma operação de R$ 5,7 milhões na linha PMAT, para incrementar a arrecadação municipal e melhorar a qualidade do gasto público da cidade. Na capixaba Serra, a modernização da administração tributária e geral do município terá financiamento de R$ 10 milhões do BNDES.

Os investimentos serão destinados à tecnologia da informação e capacitação de recursos humanos, além de outros itens. Em Vila Velha, município mais populoso do Espírito Santo, o financiamento será de R$ 14,9 milhões. Os recursos serão investidos em tecnologia da informação, capacitação de recursos humanos, melhoria das estruturas de apoio à fiscalização e adequação da infraestrutura de trabalho da administração municipal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.