FBovespa pede a Mantega reversão de IOF sobre ações - Brasil - iG" /

BM FBovespa pede a Mantega reversão de IOF sobre ações

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente-executivo da BM&FBovespa, Edemir Pinto, apresentou nesta quinta-feira ao ministro da Fazenda uma contraproposta à nova taxação de IOF de investidores estrangeiros, e afirmou que a medida já provocou um movimento muito grande de migração de aplicações para a Bolsa de Valores de Nova York. Segundo o executivo, a principal reivindicação a Guido Mantega foi a reversão da taxação sobre investimentos externos em ações.

Reuters |

"Você tem que zerar essa alíquota para o mercado de renda variável", afirmou a jornalistas ao deixar o Ministério da Fazenda.

O governo passou a taxar os investidores estrangeiros em renda fixa e ações com alíquota de 2 por cento de IOF na última terça-feira.

Edemir Pinto disse ter defendido na conversa com Mantega que ao menos as ofertas iniciais e secundárias de ações sejam isentas do pagamento do tributo.

Outro ponto apresentado, segundo o executivo, foi a permissão para que os investidores estrangeiros possam depositar as margens de garantia para operações em bolsa e mercados de derivativos no exterior.

Ele argumentou que a iniciativa, antigo pleito de investidores estrangeiros, contribuiria para conter a valorização do real --principal objetivo do governo ao impor a nova taxação.

Atualmente, o estoque dessas garantias é de 8 bilhões de dólares. O executivo ponderou, contudo, que a aceitação do governo não significaria que o dinheiro que já está aqui deixaria necessariamente o país, pois a autorização poderia ser dada somente para novas operações.

O executivo disse ter considerado a reunião com Mantega "muito positiva" e destacou que o ministro foi sensível aos pontos apresentados.

"Acredito que ele (o ministro) está hoje com um volume de informações suficiente para tomar uma decisão", acrescentou a jornalistas.

Questionado se acredita que Mantega poderá voltar atrás na taxação, o executivo disse apenas que é difícil afirmar o que o ministro vai fazer.

(Reportagem de Isabel Versiani)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG