Blocos de rua deixam 260 toneladas de lixo no Rio

Bloco de sujo, por muito tempo, foi apenas uma manifestação popular do carnaval, em que os foliões se fantasiam e saem às ruas sem muita organização. No Rio, o termo foi levado ao pé da letra.

Agência Estado |

Quem sambou pelas ruas da cidade, acompanhando os blocos, deixou para trás um rastro de 264 toneladas de lixo.

No ranking da Companhia de Limpeza Urbana do Município(Comlurb), que levou em conta os blocos que atraíram maior público, o Cordão da Bola Preta foi campeão absoluto - depois que um milhão e meio de pessoas se divertiram pelas ruas do Centro do Rio, no sábado de carnaval, os garis retiraram 19 toneladas de detritos. Em seguida, vieram Cordão do Boitatá (7,5 toneladas), também no Centro, Suvaco de Cristo (6,5 toneladas), no Jardim Botânico, na zona sul, e Quizomba (6,3 toneladas), em Vila Isabel, na zona norte.

Ao todo, levando-se em conta ainda o sambódromo, o Terreirão do Samba (espaço destinado a shows, na Praça 11) e a Avenida Intendente Magalhães, onde desfilam as escolas do Grupo de Acesso, os 1.500 garis que trabalharam neste carnaval recolheram 51% a mais de detrito das ruas, em comparação com o período de folia passado (760 toneladas ante 502).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG