Blocos arrastam multidões nas principais cidades brasileiras

Carlos A. Moreno.

EFE |

Rio de Janeiro, 21 fev (EFE).- Tentando não perder um minuto sequer do Carnaval, milhares de pessoas madrugaram hoje para comemorar a festa nas ruas das principais cidades brasileiras atrás dos blocos, que arrastaram uma multidão de foliões interessados em diversão sem violência.

Em Salvador (BA), a festa começou há dois dias, enquanto no Rio de Janeiro, capital que, por tradição, atrai mais turistas nessa época do ano, o Carnaval começou na sexta-feira, após o prefeito Eduardo Paes entregar a chave da cidade ao rei Momo.

No entanto, oficialmente a festa começa na primeira hora de sábado, e termina apenas na Quarta-Feira de Cinzas.

O bloco Galo da Madrugada, que começou a desfilar às 9h, voltou a se confirmar como um dos fenômenos carnavalescos do país, ao atrair no Recife cerca de 1,8 milhão de pessoas.

Este ano, em um percurso de 4,5 quilômetros, o bloco homenageou com um espetáculo de fogos de artifício o carnavalesco Enéas Freire, que fundou o Galo no final dos anos 1970 e morreu no ano passado.

Para acordar uma multidão fantasiada e dançando frevo, o bloco usará 23 trios elétricos e contará com a presença de cantores como Elba Ramalho e Alceu Valença.

No entanto, o destaque nas comemorações do Carnaval em Recife ficou com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, apontada como a candidata do PT às eleições de 2010 para substituir o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A presença de Dilma como espectadora, assim como a confirmada participação de Lula nos desfiles deste domingo das escolas do Grupo Especial do Rio de Janeiro, mostram que a mistura de Carnaval e política tem aumentado com o passar dos anos.

No Rio, o Cordão da Bola Preta reuniu milhares de foliões na Cinelândia para comemorar os 90 anos do bloco.

"O Bola Preta é o bloco mais antigo em atividade no Rio de Janeiro e passou pela ditadura, por vários momentos ruins, mas nunca deixou de sair", disse à Agência Efe Robílio Costa Leite, um dos organizadores.

Ele destacou a grande participação do público, calculado em um milhão de pessoas.

O Bola Preta tocou músicas próprias e marchinhas típicas do Carnaval, como "Cidade Maravilhosa" e outras que se mantêm populares mesmo após várias décadas.

Entre os participantes, os destaques ficaram com um sósia do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que também esteve representado em centenas de máscaras, e um grupo de jovens vestidos de Homem-Aranha, e que, após dançarem no meio dos presentes, escalaram a fachada do Museu Nacional de Belas Artes.

As grandes vedetes do Carnaval fluminense são, sem dúvida, as escolas de samba, mas os altos preços dos ingressos para assistir aos desfiles no Sambódromo acabam afastando o público.

Já nos blocos e outras festas de rua, a diversão é gratuita e aberta tanto aos foliões brasileiros quanto aos turistas, que se esforçam para aprender a sambar enquanto há tempo.

Em Salvador, que conta com três circuitos oficiais para que os trios elétricos passem um atrás do outro, sem deixar a festa acabar, os blocos atraem milhares de pessoas que não se importam em ficar horas andando e dançando em buscar da melhor diversão.

De volta ao Rio, o Carnaval deste ano será animado por cerca de 160 blocos, cada um com a sua marchinha composta para a festa deste ano.

Além do Bola Preta, a Banda de Ipanema é outro bloco famoso a desfilar hoje, percorrendo a famosa praia e atraindo um público eclético na tarde quente que faz no verão carioca. EFE cm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG