SÃO PAULO - O deputado estadual José Antonio Bruno (DEM), bispo da Renascer, foi convocado pela polícia para prestar depoimento no inquérito sobre o desabamento do teto da sede da igreja, no dia 18, que matou nove pessoas e deixou mais de cem feridas.

Em 2007, como vice-presidente da instituição, ele assinou uma declaração atestando que as condições de estabilidade e manutenção do imóvel continuavam as mesmas de quando o alvará foi concedido, em 2000.

A declaração assinada por Bruno era uma das últimas exigências da Prefeitura para que a Renascer obtivesse a renovação do alvará de funcionamento de local de reunião para o imóvel onde o acidente ocorreu, no Cambuci. Procurado, o deputado não retornou as ligações da reportagem. A Renascer disse que todos os seus representantes se dispõem a colaborar com as investigações.

Os vizinhos da sede que desabou devem começar a voltar para casa nesta quinta-feira. Oito imóveis estão interditados desde o dia do desabamento. Seis casas devem ser liberadas nesta quinta e outras duas na sexta, segundo a Defesa Civil. Com o risco de queda da parede da igreja, cinco famílias que moram na vila da Rua Robertson estão em um flat na Aclimação. Imagino que é por redução de custos, diz a administradora de empresas Maristela Gomes, de 35 anos. Ela conta que não consegue falar com ninguém da Renascer. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Renascer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.