Bispo do PA cobra empenho em demarcação de reservas

O bispo de Xingu (PA), D. Erwin Kräutler, presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), afirmou nesta segunda na Assembleia-Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Itaici, município de Indaiatuba (SP), que falta vontade política para resolver o problema de demarcação das terras indígenas, porque não se regulamenta em leis o que determina a Constituição.

Agência Estado |

Não adianta haver decreto com a assinatura do presidente, pois o Judiciário moroso e os parlamentares, com algumas exceções, parecem mais preocupados em defender seus interesses ou das oligarquias, disse o bispo.

O bispo comentou em entrevista o relatório apresentado no plenário da assembleia. O reconhecimento da demarcação de terras contínuas na reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, foi uma vitória da causa indígena, na opinião de d. Erwin, mas é um exemplo entre centenas de áreas. D. Erwin apontou, entre cenários alarmantes, a situação trágica dos índios guaranis-caiovás, de Mato Grosso do Sul, onde os índios vivem confinados em pequenas parcelas de terra e sofrem todas as formas de violência e perseguição.

Dados preliminares revelam que durante o ano de 2008 pelo menos 53 indígenas foram assassinados em nove Estados do Brasil. O bispo cobrou do governo a aprovação do Estatuto do Índio e criticou o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), um programa autoritário e arrogante. D. Erwin, que há dois anos anda sob escolta de dois policiais da PM do Pará, 24 horas por dia, voltou a denunciar a violência contra aqueles que, como em seu caso, defendem a causa indígena. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol  

    Leia tudo sobre: raposa serra do sol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG