CIDADE DO MÉXICO ¿ Gerald Martin, o homem que passou os últimos 18 anos dedicado à literatura de Gabriel García Márquez, disse acreditar que a obra do Prêmio Nobel colombiano chegou a seu ponto final.

"Ele disse que passa o tempo todo escrevendo, mas se me perguntam se ele vai fazer coisas novas, eu digo que acho que não", afirmou em entrevista à AFP o autor da biografia "Gabriel García Márquez - Uma vida", lançada esta semana no México.

O crítico inglês não descarta, no entanto, que sejam publicadas coisas que as pessoas já conhecem, como o conto "En agosto nos vemos". "Mas ele não vai escrever muito mais coisas", acrescentou.

Ante o silêncio público do escritor colombiano, a imprensa transformou este especialista em literatura latinoamericana e professor da Universidade de Pittsburgh numa espécie de seu porta-voz oficial.

Sua ligação com o escritor se justifica por seu monumental estudo do autor de "Cem anos de solidão", a quem dedicou um terço de sua vida através de 300 entrevistas realizadas e 3 mil páginas escritas.

"Desde que li a primeira página de 'Cem anos de solidão', soube que o mundo havia mudado", declarou Martin ao apresentar a "biografia tolerada" por Márquez, que não compareceu ao lançamento da obra na capital mexicana, onde reside há anos.

Leia mais sobre: Gárcia Márquez

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.