Emergency - Brasil - iG" /

Bill Cosby se une a artistas de hip-hop para CD Emergency

LOS ANGELES (Billboard) - Bill Cosby não canta nem faz rap em seu trabalho mais recente, mas reuniu pessoas que o fazem. Bill Cosby Presents the Cosnarati: State of Emergency é um CD de hip-hop de conscientização social que foca as questões críticas que afetam os jovens. O projeto independente será lançado nesta segunda-feira, numa reunião pública virtual em Nova York. Apresentada em associação com a Upstream, a reunião pública (às 21h de Brasília) será transmitida por sites de rádios urbanas espalhadas pelos Estados Unidos, na página de Bill Cosby no Facebook (http://facebook.com/billcosby ) e no site BillCosby.com.

Reuters |

Apresentado pelo humorista, ator, educador e autor Bill Cosby e pelo Cosnarati Band, o evento vai incluir a primeira apresentação pública pela banda de várias canções de "State of Emergency". Essas canções estarão disponíveis nas lojas online na terça-feira. O lançamento físico e digital do álbum será em 24 de novembro.

"State of Emergency" é o acompanhamento em áudio de "Come On People", livro de 2007 co-escrito por Bill Cosby e Alvin F. Poussaint. Produzido por Williams "Spaceman" Patterson, colega musical de longa data de Cosby, o CD conta com o talento dos rappers convidados e ativistas sociais Jace the Great, Brother Hahz e Supa Nova Slom. Entre os temas das faixas estão a frustração, a prisão e o respeito pelas mulheres.

Cosby, que concebeu os conceitos das letras, diz que estas tratam da raiva e frustração sentidas por muitas pessoas. "Eu propus as ideias e pedi a eles que refletissem a fundo sobre elas, mas não precisei incentivar muito. Eles reagiram mais ou menos dizendo 'obrigado, dr. Cosby. Queremos fazer isso'."

Supa Nova Slom acrescentou: "O dr. Cosby ofereceu sua sabedoria de homem mais velho, nós trouxemos nossa malandragem jovem e a interpretamos em hip-hop. Nossa geração e a sociedade como um todo estão numa encruzilhada da sobrevivência; os tempos que vivemos exigem uma reabertura deste capítulo do hip-hop."

Mencionando as reações contrárias que enfrentou devido a suas declarações polêmicas sobre a comunidade afro-americana, Cosby defende o álbum. "As pessoas que não querem que o projeto dê certo dirão que sou um velho ranzinza que rejeita os pobres e os jovens," disse ele. "Mas esses rappers são homens jovens que estão deturpando a verdade sobre o lado urbano da vida. Está na hora de alguma coisa mudar."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG