Bexiga comemora 130 anos com festival em São Paulo

Serão pelo menos 40 dias de festas para comemorar os 130 anos do bairro do Bexiga, no centro de São Paulo. Realizado por Banda do Candinho e Mulatas, o 2º Festival Oficial de Aniversário do Bexiga começa hoje à noite com uma confraternização no Restaurante Villa Távola, na Rua 13 de Maio.

Agência Estado |

Todas as cantinas e os restaurantes do bairro oferecerão programações diversas até o dia 2 de novembro.

Um festival de gastronomia será realizado às sextas, sábados e domingos, na Rua 13 de Maio, entre a Conselheiro Carrão e Praça Dom Orione. Barracas das cantinas do Bexiga servirão comidas típicas italianas das 16 às 22 horas. O festival será promovido entre os dias 10 de outubro e 2 de novembro. Às terças-feiras, a Vai-Vai, escola de samba campeã do Carnaval Paulistano 2008, vai realizar apresentações das 19h30 às 23 horas. Aos sábados, a escola organiza a tradicional feijoada com pagode, das 12 às 20 horas.

O dia 19 de outubro vai concentrar o maior número de atividades. A Festa da Criança vai tomar a Rua Genebra, das 10 às 15 horas. O Show do Bexiga homenageará Adoniran Barbosa e a Bossa Nova, das 16 às 22 horas, na Praça Pérola Byington. O Torneio Masculino de Sinuca será realizado das 11 às 20 horas, no Willian's Bar, na Rua Conselheiro Carrão.

História - O bairro é famoso por suas cantinas - hoje, segundo a Sociedade de Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista (Sodepro), são cerca de 20, as "tradicionais italianas". A mais antiga delas é a Capuano, fundada em 1907 na Rua Major Diogo, transferida para a Conselheiro Carrão em 1961. No final da década de 1940, o Bexiga encontrou outra vocação - nessa época, começaram a se instalar no local os primeiros teatros, como o Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), em 1948. Mais tarde, vieram outras casas: o Teatro Imprensa, o Bibi Ferreira e o Oficina. E elas continuam chegando - hoje, segundo a Sodepro, são 15.

Hoje, o Bexiga tem cerca de 65 mil habitantes, com 4.672 estabelecimentos comerciais - a maioria, de serviços. "A unidade que o Bexiga manteve é algo único entre os bairros da capital", afirma o historiador da USP Benedito Lima de Toledo. "A tradição vem de costumes que sempre manteve, com festas que, mesmo levando milhares de visitantes, como a da Nossa Senhora de Achiropita, é até hoje realizada por pessoas da própria comunidade." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG