SÃO BERNARDO DO CAMPO (Reuters) - O presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), afirmou nesta quinta-feira que a crise de hipertensão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se deveu ao ritmo intenso de trabalho. O petista considera o mal-estar passageiro, mas afirmou que o presidente não realizou em 2009 seu check-up de saúde anual. Com a saúde do Lula está tudo bem. Ele teve uma crise de hipertensão, mas não é hipertenso, decorre do cansaço, disse Berzoini à Reuters por telefone.

"No ano passado ele não fez check-up, todo ano ele faz", acrescentou.

Na quarta-feira, Lula, de 64 anos, foi internado no Real Hospital Português, em Recife, após ter apresentado pressão arterial alta, 18 por 12, segundo a Presidência. Ele passou a noite no hospital e tomou diuréticos.

Lula cumpriu extensa agenda em Pernambuco e passou o dia sentindo-se indisposto com um incômodo no peito.

Nesta quinta, após receber alta, Lula desembarcou em São Paulo e foi para sua casa em São Bernardo do Campo.

Berzoini, que afirmou já ter sofrido uma crise similar em 2007, quando a pressão chegou a 17, afirmou que se tivesse um número de compromissos de trabalho como o do presidente já teria caído doente.

"Se eu fizer a agenda dele, vou para a cama em 10 dias. Lula trabalha 16 horas por dia", disse.

O presidente do partido afirmou ainda que recebeu as informações por intermédio do Palácio do Planalto e que não pretende telefonar para não incomodar o descanso de Lula.

"O bom senso é não procurá-lo", afirmou.

(Por Carmen Munari)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.