Bernardo volta a defender reformas política e tributária

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, voltou a defender hoje a necessidade das reformas tributária e política. Em evento promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing (ADVB), no Rio de Janeiro, o ministro fez palestra para empresários e executivos de marketing sobre a elevada carga tributária do País.

Agência Estado |

Além disso, ele afirmou que as instituições brasileiras precisam de uma reforma política que ajude o cidadão brasileiro a voltar a confiar em seus políticos e em suas instituições.

Após a palestra, quando questionado por repórteres sobre o andamento da reforma tributária, o ministro comentou que, em relação à proposta "tem mais gente aplaudindo do que criticando". De acordo com estimativas do ministro, é possível que a proposta possa ser enviada para a Câmara até setembro e encaminhada ao Senado até o final do ano. Quanto à reforma política, ele disse que, se fosse aprovada até 2010, seria um avanço.

Ao ser perguntado se a reforma política poderia ser uma solução que ajudasse a acabar com supostos envolvimentos do governo federal em escândalos de corrupção, o ministro rebateu a afirmação e afirmou que as notícias sobre corrupção envolveram pessoas de vários setores, e que a Polícia Federal (PF) "está trabalhando, está botando para quebrar", na investigação dos casos. "Mas vamos ficar esperando a Polícia Federal fazer reforma política? Não. Nós temos que enfrentar isso e fazer (a reforma)", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG