Berlim constrói monumento em memória de ciganos assassinados por nazistas

A Alemanha inicia nesta sexta-feira a construção do primeiro monumento em memória dos 250.000 a 500.000 ciganos assassinados pelos nazistas na Europa.

AFP |

De forma simbólica, as obras serão inauguradas exatamente 66 anos depois de uma ordem de deportação dos ciganos de 11 países da Europa assinada por Heinrich Himmler, o chefe das SS, organização paramilitar nazista responsável pelos massacres nos países ocupados.

Em um decreto publicado em 8 de dezembro de 1938, Himmler definiu este povo como um "inimigo biológico, de raça estrangeira e de sangue estrangeiro".

Durante a Segunda Guerra Mundial, entre 250.000 e 500.000 dos quase 700.000 ciganos que vivian na Europa foram exterminados.

Os números imprecisos são explicados pela falta de documentos.

Na classificação racial nazista, os ciganos eram considerados "híbridos" e seu caráter nômade era definido como uma "degeneração".

Para o Terceiro Reich, estes eram argumentos suficientes para justificar a esterilização e deportação para o campos de concentração, onde foram exterminados ou serviram de cobaias para os experimentos médicos dos cientistas nazistas.

gsw/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG