Ben Stiller nega ter discriminado jornalistas mexicanos por gripe

CIDADE DO MÉXICO ¿ O ator norte-americano Ben Stiller qualificou hoje como grande mal-entendido as notícias sobre uma suposta desfeita que fez com jornalistas mexicanos na promoção nos Estados Unidos do filme Uma Noite no Museu 2 por causa do vírus AH1N1.

EFE |

Vários jornais mexicanos informaram que, durante uma sessão de entrevistas sobre o longa, o ator lavou as mãos com gel antibacteriano após cumprimentar repórteres do México.

"Acho que tudo foi um grande mal-entendido, não tinha nenhuma intenção de transmitir nenhum sentimento negativo (sobre) a situação que vocês estavam vivendo", explicou nesta terça-feira o ator na apresentação do filme no México.

"Só tenho bons sentimentos por este país", afirmou o comediante, que lembrou que seu primeiro filme, "Iguana Tango", foi rodado em uma localidade mexicana de praia, Ixtapa.

Stiller elogiou também como o Governo mexicano administrou o surto, que já deixou 108 mortos e 6.133 contagiados no país.

Perguntado sobre por que não tinha visitado o presidente Felipe Calderón, como fez há pouco o também ator Hugh Jackman ("X-Men Origens: Wolverine") para reforçar a recuperação turística do México, o ator fingiu estar irritado pelo fato de não ter sido convidado.

"Ele se reuniu com o presidente? Ninguém me convidou. Eu também queria ter ido", brincou, afirmando em seguida que não levava na brincadeira o problema da gripe. "Adoraria me encontrar com o presidente. Talvez ele pudesse dar boas referências sobre mim depois", acrescentou.

No fim da coletiva, o comediante cumprimentou os jornalistas e beijou, abraçou e tirou fotos com várias repórteres.

    Leia tudo sobre: ben stiller

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG