Bebês sob a luz do sol

Bebês sob a luz do sol Por Andressa Zanandrea São Paulo, 14 (AE) - Bebê encapotado não combina com dias de sol. No verão, os pequenos, assim como os adultos, também sentem mais calor e precisam ser mais hidratados.

Agência Estado |

A estação é ainda a temporada de algumas doenças, como diarreias e insolações, que podem ser evitadas com cuidados simples, como exposição solar moderada e alimentação adequada.

"Quanto mais novos os bebês, mais suscetíveis eles são às doenças. A sazonalidade impacta muito mais nas crianças menores, que ainda não têm a maturidade imunológica", explica o pediatra Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações e profissional do Hospital e Maternidade Santa Joana.

No verão aumenta o risco de diarreias infecciosas e hepatite A. "O aleitamento materno é protetor de doenças. Mas é preciso preparar os alimentos com cuidado, lavar as mãos antes, usar água tratada e evitar alimentos prontos e malconservados. É melhor preferir os frescos e preparados com higiene", diz Kfouri. Segundo ele, é preciso obedecer à rotina de introdução de alimentos, de forma que a criança esteja preparada para recebê-los. "Bom senso é o melhor remédio."

Um erro comum, segundo o pediatra, é a preocupação exagerada que algumas mães têm de que o filho sinta frio. "A criança que passa calor pode sofrer mais do que com o frio." Um bebê muito agasalhado em dia quente pode ter febre e transpirar até desidratar. Isso pode favorecer resfriados e dermatites. "A criança que sente calor fica sonolenta e transpira. O ideal é vesti-la de acordo com o clima."

O uso de ar-condicionado deve ser evitado por períodos longos, como durante uma noite inteira de sono. "É preciso tomar cuidado com a manutenção periódica e a limpeza dos filtros, que acumulam ácaros e agentes de poluição, o que faz com que o ar fique com qualidade pior", afirma Kfouri. Para evitar que o ar fique muito seco, é possível usar umidificador ou uma bacia de água, mas o melhor, de acordo com o médico, é usar ventilador no modo exaustor, em que o ar é circulado para o teto.

HIDRATADOS, FEITO GENTE GRANDE
Kfouri explica que o corpo do bebê contém maior porcentagem de água que o de crianças mais velhas ou de adultos. Esse líquido precisa ser reposto. No caso dos menores, isso se dá pelo aleitamento materno; para crianças maiores ou que não mamam mais, com sucos e água. "A mãe precisa beber mais líquido, pois a produção do leite depende disso."

Nos primeiros meses de idade, a pele é mais fina, mais sensível. Por isso, ela fica mais suscetível a dermatites, queimaduras solares, brotoejas e assaduras. Os dois últimos são os problemas dermatológicos mais comuns nos bebês durante o verão. A dermatologista Flávia Sternberg recomenda mantê-los com roupas arejadas e à sombra.

Para evitar assaduras, segundo Flávia, é indicado manter as dobrinhas secas, com o uso de talco ou cremes específicos, e trocar a fralda com frequência, pois o aparecimento do problema está relacionado à irritação provocada pela urina e pelas fezes. Já as brotoejas, que irritam o bebê, pois provocam coceira, podem ser evitadas mantendo a criança à sombra, em ambientes frescos, e com roupas soltas e de algodão.

Flávia recomenda o uso de filtros solares específicos para bebês, pois essas formulações minimizam o aparecimento de alergias. A maioria dos produtos deve ser usada a partir dos 6 meses de idade, mas, segundo a médica, alguns já apresentam boa tolerabilidade desde os 2 ou 3 meses. "No primeiro ano, o ideal é usar apenas quando ocorrer exposição direta ao sol." Os pequenos devem tomar sol de 10 a 15 minutos por dia, sempre antes das 10h ou após as 14h. Isso estimula a produção da vitamina D, que promove a absorção do cálcio, elemento essencial para o bom desenvolvimento dos ossos e dentes.

Após o banho de sol, o bebê precisa de hidratação, feito gente grande, mas com produtos adequados à pele dele, alerta a dermatologista Eliandre Costa Palermo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. "Para retirar o excesso de protetor solar é preciso usar mais sabonete , o que pode aumentar o ressecamento da pele. Por isso, o hidratante é necessário. A pele nunca deve ficar rosada ou avermelhada." Se isso ocorrer, é bom procurar o médico.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG