Bebê que nasceu após mãe ser baleada em assalto recebe alta no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO ¿ A bebê que nasceu de uma cesariana de emergência após a mãe ser baleada e morta em uma tentativa de assalto, em abril deste ano, na zona norte do Rio de Janeiro, recebeu alta e passa bem, segundo informou nesta terça-feira a secretaria municipal de Saúde. Juliana ficou internada na UTI Neonatal do Hospital Maternidade Carmela Dutra por quase quatro meses e teve alta com 2,775 kg.

Redação |

A menina nasceu prematura, com menos de sete meses, pesando aproximadamente 1,090 kg, no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Logo depois o parto, a bebê foi encaminhada para o Hospital Maternidade Carmela Dutra. A mãe da criança, a enfermeira Leslie de Lima, de 30 anos, não resistiu aos ferimentos após a cesariana de emergência e morreu.

Confira a carta de agradecimento divulgada pela família da bebê:

Oi, sou Juliana! Já estou em casa, muito feliz, ainda frágil, mas vitoriosa porque vocês rezaram, oraram e torceram por mim. Eu resisti e sobrevivi. Em resposta de Deus pelas preces de vocês, agradeço a força que me deram. Muita felicidade e que Deus lhes protejam e dê em dobro tudo o que me desejaram. Um grande beijo, Juliana.

Relembre o caso

A enfermeira Leslie de Lima voltava com o marido, Anderson Pinheiro Lopes, de 32 anos, do shopping Nova América, em Del Castilho, em um Renault Clio, quando foram abordados por quatro assaltantes em duas motos num sinal de trânsito na esquina das ruas Miguel Gama e Fernando Esquerdo, em Maria da Graça.

De acordo com o depoimento de Anderson à polícia, o casal não reagiu ao assalto e abriu as portas do carro. Mesmo assim, um dos criminosos atirou duas vezes na cabeça de Leslie. Ela teria demorado a se levantar porque não conseguiu tirar o cinto de segurança imediatamente por causa da barriga de gestante.

O marido da enfermeira chegou a levá-la ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu. Os bandidos conseguiram fugir sem levar nenhum pertence do casal. O caso foi registrado na 44ª DP (Inhaúma).

Dois dias depois, Anderson foi à delegacia tentar fazer o retrato falado dos bandidos, mas não conseguiu. No mesmo dia, a Polícia Militar realizou uma operação na favela do Jacarezinho, localizada próxima ao local do crime, para tentar localizar os responsáveis pelo assassinato da enfermeira. Três suspeitos morreram durante a ação policial, mas eles não foram reconhecidos por Anderson.

O Disque-Denúncia continua a oferecer recompensa de R$ 5 mil para quem der informações que levem à prisão dos responsáveis pela morte de Leslie. O telefone do Disque-Denúncia é 2253-1177. A central de atendimento funciona 24h e o anonimato é garantido.

Assita ao vídeo sobre o caso:

Leia também:

Leia mais sobre: violência no Rio

    Leia tudo sobre: assaltográvida baleadaviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG