Bebê é achado dentro de sacola na Grande SP

Um recém-nascido foi encontrado abandonado em uma sacola na noite de ontem em uma viela no Jardim Itapark, em Mauá, na Grande São Paulo. O menino, que mede cerca de 50 centímetros e pesa 3,4 quilos, foi achado por um policial militar de folga que chegava em casa.

Agência Estado |

A família do policial deu banho, amamentou e cuidou da criança até a chegada da Polícia Militar, que levou o bebê até o Hospital Nardini. Segundo a equipe médica, a criança está bem e não corre nenhum perigo.

O cabo da PM do 30º Batalhão Haroldo Balbino Vasconcelos, de 46 anos, contou que chegava em casa de carro por volta das 20h30 quando viu uma sacola branca de papelão, de uma marca de grife, largada na viela ao lado da sua residência. Ele chamou a sua mulher, a manicure Maria Pereira da Cruz Vasconcelos, de 41 anos. Os dois foram olhar o que havia na sacola, forrada com um xale branco, e encontraram o bebê, que usava uma camiseta de manga comprida e uma calça brancas, meia rosa e uma fralda descartável.

A criança estava suja e com a boca roxa de frio. O casal levou-a para casa, deu banho e roupas limpas e acionou a PM. Uma filha do policial, de 18 anos e mãe de um menino de apenas 2 meses, amamentou o bebê abandonado. "Estou bem agradecido por ter achado essa criança", disse o PM. "Daqui para a frente ela pode ter um futuro decente", avaliou.

Além das duas filhas biológicas, de 17 e 18 anos, o policial e a mulher têm um menino que foi adotado ainda bebê e hoje tem 2 anos e meio. Questionado se adotaria a criança abandonada ao lado da sua casa, Vasconcelos respondeu: "Se eu não tivesse essa minha, eu adotava". A mulher do policial escolheu um nome para a criança. "Sempre gostei de três nomes: Mateus, Rodrigo e Eduardo. O Mateus é o meu filho, daí escolhi agora Eduardo", explicou Maria.

Mas, no hospital Nardini, o garoto ganhou mais um nome e está sendo chamado de Vitor Eduardo. Uma enfermeira tinha resolvido chamá-lo de Vitório, mas um consenso entre a equipe que participou do socorro do bebê resolveu mudar o nome para Vitor. De acordo com a pediatra Laysa Lira, a criança - quem tem entre 7 e 10 dias - apresenta um bom estado geral de saúde, sem lesões ou fraturas.

"Pedi que ele ficasse em observação por pelo menos 24 horas e daí amanhã (hoje) o Conselho Tutelar provavelmente recolhe", explicou a médica. Depois de recolhido, o bebê deve ser encaminhado a um abrigo para adoção. O caso foi registrado como abandono de incapaz no 1º Distrito Policial de Mauá. Durante a madrugada, a PM de Mauá recebeu uma ligação de uma mulher que se identificava como mãe do bebê abandonado e afirmava que se apresentaria na delegacia, mas até o final da madrugada ela não compareceu ao Distrito Policial.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG