Tamanho do texto

RIO DE JANEIRO - É grave o estado de saúde do bebê da mulher grávida de 22 anos que foi assassinada a tiros na noite deste domingo em Bangu, zona oeste do Rio. Os médicos conseguiram fazer o procedimento cesariano antes que ela morresse.

Acordo Ortográfico

A recém-nascida de 3,4 quilos, segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal do Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, também na zona oeste da cidade após apresentar insuficiência respiratória e ser entubada, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Os médicos conseguiram fazer o parto na mãe do bebê, Bianca Freitas Loyola, que estava grávida de 9 meses, após ela ser atingida por cerca de cinco tiros. A filha, Júlia Freitas Loyola, de 4 anos, foi atingida no rosto, sobreviveu, mas teve de passar por uma cirurgia. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, seu estado considerado grave.

Suspeita-se que elas foram atacadas por traficantes por conta de uma dívida que o companheiro de Bianca tinha com o tráfico, segundo a polícia.

Leia mais sobre: assassinato